Interpretações do Brasil contemporâneo

Jorge Chaloub, Pedro Luiz Lima

Resumo


O presente artigo buscou evidenciar a estrutura interna comum à atividade, nem
sempre consciente, de interpretar o Brasil contemporâneo, assim como pretendeu
elencar alguns dos principais eixos temáticos em torno dos quais o país tem sido
correntemente interpretado.


Palavras-chave


Pensamento político-social brasileiro; Interpretações do Brasil; Brasil contemporâneo; Ensaio; Ciência.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. São Paulo: Argos,

ALEXANDER, J. C. “A importância dos clássicos”. In GIDDENS, A; TURNER, J.

(orgs). Teoria Social Hoje. São Paulo: UNESP, 1999.

ALONSO, Angela. Ideias em movimento: a geração de 1870 na crise do Brasil

Império. São Paulo, Paz e. Terra, 2002.

ARAÚJO, Ricardo Benzaquen de. Guerra e paz: Casa-Grande & Senzala e a obra de

Gilberto Freyre nos anos 30. São Paulo: ed. 34, 2005.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização

Brasileira, 2016.

BARBOZA FILHO, Rubem. A modernização brasileira e o nosso pensamento

político. Perspectivas, São Paulo, v. 37, p. 15-64, jan./jun. 2010.

BASTOS, Elide Rugai. As criaturas de Prometeu: Gilberto Freyre e a formação da

sociedade brasileira. São Paulo: Global, 2006.

BOITO Jr., Armando. Reforma e crise política no Brasil: Os conflitos de classe nos

governos do PT. São Paulo: Unesp, 2018.

BOTELHO, André. Seqüências de uma sociologia política brasileira. Dados vol.50

no.1 Rio de Janeiro, 2007.

CARDOSO, Fernando Henrique. Crise e reinvenção da política no Brasil. São Paulo:

Companhia das Letras, 2018.

CARVALHO, Laura. Valsa brasileira: Do boom ao caos econômico. São Paulo:

Todavia, 2018.

CARVALHO, Maria Alice Rezende. Temas sobre a organização dos intelectuais no

Brasil. RBCS Vol. 22 nº. 65 outubro/2007.

CHALOUB, J. G. S.; LIMA, P. L. . Os juristas políticos e suas convicções: para uma

anatomia do componente jurídico do golpe de 2016 no Brasil. Revista de Ciências

Sociais (UFC), v. 49, p. 202-252, 2018.

CHALOUB, J. G. S.; PERLATTO, Fernando . Intelectuais da ‘nova direita’ brasileira:

ideias, retórica e prática política. Insight Inteligência , v. 1, p. 25-42, 2016.

DOMINGUES, José Maurício. Esquerda: Crise e Futuro. Rio de Janeiro: Mauad, 2017.

JORGE CHALOUB | PEDRO LUIZ LIMA | Interpretações do Brasil contemporâneo 37

FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder: a formação do patronato político brasileiro.

São Paulo: Globo, 2000.

FERNANDES, Florestan. Desenvolvimento Histórico-social da Sociologia no Brasil.

In: FERNANDES, Florestan. A Sociologia no Brasil. Contribuição Para o Estudo de

sua Formação e Desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1977a.

______. O Padrão de Trabalho Científico dos Sociólogos Brasileiros. In: FERNANDES,

Florestan. A Sociologia no Brasil. Contribuição Para o Estudo de sua Formação e

Desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1977b.

FIORI, José Luís. O vôo da coruja, uma leitura não liberal da crise do estado

desenvolvimentista, Eduerj, 1995.

FREITAS, Renan Springer de; FIGUEIREDO, Adriana Maria de. Por que esforços

de síntese teórica são bem-sucedidos no cenário biológico e malogram no cenário

sociológico?. Hist. cienc. saude-Manguinhos [online]. 2009, vol.16, n.3, pp.729-745.

FREITAS, Renan Springer de. Uma cilada chamada “raciocínio teórico sistemático”.

Novos estudos CEBRAP. São Paulo. V36.02, 2017, 145-156

JACKSON, Luís Carlos; BLANCO Alejandro. Sociologia no espelho. ensaístas,

cientistas sociais e críticos literários no Brasil e na Argentina (1930-1970). São Paulo:

Editora 34, 2014.

JASMIN, M.G.; FERES Jr., J (Org). História dos conceitos: debates e perspectivas. Rio

de Janeiro: Editora PUC - Rio; Loyola. IUPERJ, 2006.

LAHUERTA, M.; BOTELHO, André Pereira . Pensamento brasileiro: interpretações,

linguagens e linhagens. Perspectivas: Revista de Ciências Sociais, v. 37, p. 07-14, 2010

LAMOUNIER, Bolívar. Liberais e antiliberais: A luta ideológica do nosso tempo.

Companhia das Letras, 2016.

LESSA, Renato. Da interpretação à ciência: por uma história filosófica do

conhecimento político no Brasil. Lua Nova, São Paulo, 82: 17-60, 2011.

LYNCH, Christian E. C. Por que pensamento e não teoria? a imaginação políticosocial brasileira e o fantasma da condição periférica (1880-1970). Dados vol.56 no.4

Rio de Janeiro Oct./Dec. 2013.

______ Teoria pós-colonial e pensamento brasileiro na obra de Guerreiro Ramos: o

pensamento sociológico (1953-1955). Cad. CRH vol.28 no.73 Salvador Jan./Apr. 2015.

MAIA, João Marcelo Ehlert. O pensamento social brasileiro e a imaginação póscolonial. Revista Estudos Políticos Número O – 2010/01

MEDIAÇÕES, LONDRINA, V. 23 N. 2, P.14-39, MAI./AGO. 2018

______. Ao sul da teoria: a atualidade teórica do pensamento social brasileiro. Soc.

estado. vol.26 no.2 Brasília May/Aug. 2011.

______. A sociologia periférica de Guerreiro Ramos. Cad. CRH vol.28 no.73 Salvador

Jan./Apr. 2015.

MALAN, Pedro. Uma certa ideia de Brasil: Entre passado e futuro. São Paulo:

Intrínseca, 2018.

MANNHEIM, Karl. Conservative Thought. In: Essays on Sociology and Social

Psychology. Londres: Routledge & Kegan Paul, 1959.

MARTINS, José de Souza. Do PT: das lutas sociais ao poder. São Paulo: Contexto,

MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac e Naify, 2003.

MICELI, Sérgio (org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo: Sumaré/

Fapesp, 2001

NOBRE, Marcos. Imobilismo em movimento: Da abertura democrática ao governo

Dilma. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

______. O que significa “pensar o país”? Um debate a propósito de Por que o Brasil

cresce pouco?, de Marcos Mendes. Novos estudos CEBRAP nº.100 São Paulo Nov.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. As possibilidades da política. Idéias para a reforma

democrática do Estado. 1ª. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

OLIVEIRA, Francisco. Crítica da Razão dualista; O ornitorrinco. São Paulo:

Boitempo, 2003.

PERLATTO, Fernando. A imaginação sociológica brasileira: a sociologia no Brasil e

a sua vocação pública. São Paulo: CRV, 2016.

PERLATTO, Fernando; SOUSA, Diogo Tourino. Leituras de um Brasil em mudança:

cientistas sociais, conjuntura política e a democracia brasileira. Mediações v. 24 nº2,

RAMOS, Alberto Guerreiro. O problema nacional do Brasil. Rio de Janeiro: Editora

Saga, 1960.

______. A Crise do Poder no Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1962.

______. Introdução crítica à sociologia brasileira. 2ª. Edição. Rio de Janeiro: Editora

da UFRJ, 1995.

JORGE CHALOUB | PEDRO LUIZ LIMA | Interpretações do Brasil contemporâneo 39

RIBEIRO, Renato Janine. A pátria educadora em colapso. São Paulo: Três estrelas,

SAFATLE, Vladimir. Só mais um esforço. São Paulo, Três estrelas, 2017.

SANTOS, Wanderley Guilherme; LYNCH, Christian E. C. (org.). A Imaginação

política brasileira: cinco ensaios de história intelectual. Rio de Janeiro: Revan: 2017.

SANTOS, Wanderley Guilherme. O cálculo do conflito. Belo Horizonte: UFMG, 2004.

______. O ex-leviatã brasileiro : do voto disperso ao clientelismo concentrado. Rio

Janeiro : Civilização Brasileira, 2006.

______. A democracia impedida: o Brasil no século XXI. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas: Forma literária e processo social nos

inícios do romance brasileiro. São Paulo: Duas cidades, 1981.

SCHWARTZMANN, Simon. São Paulo e o Estado Nacional. São Paulo: Difel, 1975.

SINGER, André. O Lulismo em crise: Um quebra-cabeça do período Dilma (2011-

. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SOUZA, Jessé. A modernização seletiva: uma reinterpretação do dilema brasileiro.

Brasilia: UNB, 2000.

______. A radiografia do golpe. São Paulo: LeYa,, 2017.

______. A Elite do atraso; da escravidão à Lava Jato. São Paulo: LeYa,, 2017.

STAROBINSKI, Jean. É possível definir o ensaio? Remate de Males, Campinas-SP,

(31.1-2): pp. 13-24, Jan./Dez. 2011.

VIANNA, Luiz Werneck. Liberalismo e Sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1978.

______. De um plano Collor a outro. Rio de Janeiro: Revan, 1991.

_______. Weber e a interpretação do Brasil. Novos Estudos, CEBRAP, nº 53, 1999.

______ A Revolução Passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro:

Revan, 2004.

VIANNA, L. W.; CARVALHO, M. A. R.; PALACIOS, M.; BURGOS, M.. Judicialização

da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1999.

VIEIRA PINTO, Alvaro. Ideologia e desenvolvimento nacional. Rio de Janeiro: ISEB,




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n2p14

Direitos autorais Mediações - Revista de Ciências Sociais



  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International