Corrupção e desigualdade na perspectiva de intérpretes neorrepublicanos de Maquiavel

Miquéias Serrão Marques

Resumo


Este artigo busca discutir o conceito de corrupção presente no Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio (Discorsi) de Maquiavel. A problemática que nos norteia é: existe alguma “doença” nociva ao ciclo de vida de um corpo político republicano? A hipótese com a qual trabalhamos coloca a corrupção política como a principal enfermidade de uma república, cujos danos tornam-se irreparáveis quando seus cidadãos perdem seus costumes cívicos. Descreveremos o conceito de corrupção com o qual Maquiavel trabalha; analisaremos sua gênese e algumas de suas repercussões cívicas e institucionais à república romana; mapearemos a noção de corrupção e desigualdade desenvolvida pelos intérpretes, dentre eles: Pocock (2008), Skinner (1996), Bignotto (1991), Ménissier (2013), Sparling (2014) e Maher (2017). A presente discussão terá como foco a leitura dos capítulos 16, 17, 18 e 55 do livro I do Discorsi. Veremos que o adoecimento cívico e institucional daquele corpo político degenerou sua virtù, o que trouxe sérios obstáculos ao exercício da liberdade.

Palavras-chave


Virtù; Liberdade; Corrupção; Doença

Texto completo:

PDF

Referências


ADVERSE, Helton. Maquiavel, a república e o desejo de liberdade. Trans/form/ação, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 21-42, 2007.

ADVERSE, Helton. Maquiavel. In: AVRITZER, Leonardo; BIGNOTTO, Newton; GUIMARÃES, Juarez; STARLING, Heloisa Maria Murgel (org.). Corrupção: ensaios e críticas. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012. p. 31-38.

BIGNOTTO, Newton. Corrupção e opinião pública. In: FIGUEIRA, Fernando; AVRITZER, Leonardo (org.). Corrupção e sistema político no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012. p. 15-42.

BIGNOTTO, Newton. Maquiavel republicano. São Paulo: Loyola, 1991.

FILGUEIRAS, Fernando. Marcos teóricos da corrupção. In: In: AVRITZER, Leonardo; BIGNOTTO, Newton; GUIMARÃES, Juarez; STARLING, Heloisa Maria Murgel (org.). Corrupção: ensaios e críticas. 2. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012. p. 299-306.

GAGNÉ, Learry. A modern interpretation of Machiavelli's political cycle. Canadian Political Science Review, Burnaby, v. 5, n. 2, p. 127-135, 2011.

GAILLE-NIKODIMOV, Marie. Conflito e liberdade: a política maquiaveliana entre a história e a medicina. Toledo: CRV, 2007.

GAILLE-NIKODIMOV, Marie. Desejo de liberdade, cidadania e democracia. Retorno à questão da atualidade política de Maquiavel. In: ADVERSE, Heltron (org.). Reflexões sobre Maquiavel: 500 anos de O príncipe. São Paulo: Edições Loyola, 2015. p. 15-34.

GARCÍA, Eloy. Istorie fiorentine de Maquiavelo: una primera definición moderna de corrupción. Quaderns d’Italià, Bellaterra, v. 15, p. 117-126, 2010.

LEFORT, Claude. El arte de escribir y lo político. Barcelona: Herder Editorial, 2007.

MAHER, Amanda. The power of “wealth, nobility and men: inequality and corruption in Machiavelli’s Florentine Histories”. European Journal of Political Theory, London, v. 0, n. 0, p. 1-20, 2017. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1474885117730673. Acesso em: 9 mar. 2019.

MAQUIAVEL, Nicolau. Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007a.

MAQUIAVEL, Nicolau. História de Florença. São Paulo: Martins Fontes, 2007b.

MAQUIAVEL, Nicolau. O príncipe: escritos políticos, 1973.

MÉNISSIER, Thierry. Corruption, virtue and republic in Machiavelli’s work. In: THE EXERCISE OF POWER 500 YEARS AFTER THE PRINCE WAS WRITTEN CONFERENCE, 2014, Bucharest. Anais […]. Bucharest, 2014.

PANCERA, Gabriel. Maquiavel entre repúblicas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

POCOCK, John G. A. El momento maquiavélico: el pensamiento político florentino y la tradición republicana atlántica. Madrid: Editorial Tecnos, 2008.

POCOCK, John G. A. Linguagens do ideário político. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2013.

SILVA, Ricardo. Da história do pensamento político à teoria política histórica: variações da hermenêutica do conflito de Quentin Skinner. Lua Nova, São Paulo, v. 102, p. 137-171, 2017.

SILVA, Ricardo. Da honra ao patrimônio: conflito social e instituições políticas nos Discorsi de Maquiavel. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, v. 12, p. 43-66, 2013.

SILVA, Ricardo. Visões da liberdade: republicanismo e liberalismo no debate teórico contemporâneo. Lua Nova, São Paulo, v. 94, p. 181-215, 2015.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

SKINNER, Quentin. Maquiavel. Porto Alegre: L&PM, 2012.

SPARLING, Robert. Le Prince et le problème de la corruption: réflexions sur une aporie machiavélienne. Les Ateliers de léthiqye, Montréal, v. 9, n. 1, p. 8-27, 2014. Disponível em: http://id.erudit.org/iderudit/1024292ar. Acesso em: 9 mar. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2019v24n2p131

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International