O debate acerca do ensino de Sociologia no secundário, entre as décadas de 1930 e 1950. Ciência e modernidade no pensamento educacional brasileiro

Flávio Marcosandy Silva Sarandy

Resumo


O discurso educacional das décadas de 1930 a 1950 considerou a ciência como o caminho coerente de compreensão da realidade nacional e a educação, a principal arena de intervenção nas relações sociais, portanto, uma educação orientada pela ciência em suas linhas mestras, em termos de política educacional e, internamente, em termos de didática e currículo, e tendo como principal conteúdo o conhecimento produzido pela própria ciência, com vistas à democracia e ao ingresso do Brasil na modernidade capitalista. O artigo discute a relevância do ensino de sociologia no pensamento educacional brasileiro a partir da articulação entre determinadas variáveis como “democracia”, “ciência” e “modernidade”, e sugere que em textos de Florestan Fernandes, Costa Pinto e Antônio Cândido, por exemplo, há uma associação entre certa concepção de democracia, uma perspectiva que se pretende modernizante das relações sociais no Brasil e a proeminência da educação como projeto estratégico de modernização e desenvolvimento democrático justamente devido à formação de “capacidades” necessárias aos cidadãos brasileiros, em que o ensino de sociologia na educação básica ocupou lugar de destaque para o projeto, num contexto efervescente de ruptura com um passado tido por representante do nosso atraso.


Palavras-chave


Ensino de Sociologia; Política educacional.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Fernando de. A sociologia no Brasil: o ensino e as pesquisas sociológicas no Brasil. In: WILLEMS, E. Dicionário de sociologia. 4. ed. São Paulo: Globo, 1969.

BOMENY, Helena. Os intelectuais da educação. São Paulo: Jorge Zahar, 2001.

BOTELHO, André. Aprendizado do Brasil. a nação em busca dos seus portadores sociais. Campinas: Unicamp, 2002.

CÂNDIDO, Antônio. Literatura e Sociedade. 8. ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

CARVALHO, Marta M. Chagas. Educação e política nos anos 20: a desilusão com a República e o entusiasmo pela educação. In: DE LORENZO, Helena Carvalho; COSTA, Wilma Peres da (Org.). A década de 20 e o Brasil moderno. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

CORREA, Lesi. Projeto de Extensão Universitária, Laboratório de Ensino de Sociologia. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 1999.

COSTA PINTO, Luiz de Aguiar. O ensino da sociologia na escola secundária. Tese (Concurso à Livre Docência) - Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, 1947.

CUNHA, Marcus Vinícius da; TOTTI, Marcelo Augusto. Do “Manifesto dos Pioneiros” à “Sociologia Educacional”: ciência social e democracia na educação brasileira. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

FERNANDES, Florestan. O ensino da Sociologia na escola secundária brasileira. In: ______. A Sociologia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1975. Originalmente publicado nos Anais do I Congresso Brasileiro de Sociologia, 21-27 de junho de 1954, em São Paulo.

GHIRALDELLI JR., Paulo. A pedagógica marxista brasileira e o “esgotamento das energias utópicas da sociedade do trabalho”: um caso de não-enfrentamento. In: ______. Educação e Razão Histórica. São Paulo: Editora Cortez, 1994, pp. 149-190.

GIGLIO, Adriano. A sociologia na Escola Secundária: uma questão das Ciências no Brasil- anos 40 e 50. 1999. Dissertação (Mestrado) - IUPERJ, Rio de Janeiro.

LAHUERTA, Milton. Os intelectuais e os anos 20: moderno, modernista, modernização. In: DE LORENZO, Helena Carvalho; COSTA, Wilma Peres da (Org.). A década de 20 e o Brasil moderno. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

LEVINE, Donald N. Visões da tradição sociológica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1997 [1ª edição de 1995], tradução de Álvaro Cabral.

MEKSENAS, Paulo. O Ensino da Sociologia na Escola Secundária. In.: ______. Leituras & Imagens. Grupo de Pesquisa em Sociologia da Educação. Florianópolis: UFSC, UDESC, 1995. p. 67-79.

MELO, Manuel Palácios da Cunha e. Quem explica o Brasil. Juiz de Fora: Editora UFJF, 1999.

MEUCCI, Simone. A institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e cursos. 2000. Dissertação (Mestrado) - UNICAMP, Campinas.

MORAES, Amaury Cesar. Licenciatura em ciências sociais e ensino de sociologia: entre o balanço e o relato. Tempo Social, São Paulo, abr. 2003.

MORAES, João Quartin de. O positivismo nos anos 20: entre a ordem e o progresso. In: DE LORENZO, Helena Carvalho; COSTA, Wilma Peres da (Orgs.). A década de 20 e o Brasil moderno. São Paulo: UNESP, 1997.

NUNES, Edson. A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. 2.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

PAGNI, Pedro Ângelo. Do “Manifesto de 1932” à construção de um saber pedagógico. Ensaiando um diálogo entre Fernando de Azevedo e Anísio Teixeira. Ijuí: UNIJUÍ, 2000.

RÊSES, Erlando da Silva. ...E com a palavra: os alunos. Estudo das representações sociais dos alunos da rede pública do Distrito Federal sobre a sociologia no ensino médio. 2004. Dissertação (Mestrado) – UNB, Brasília.

SANTOS, Mário Bispo dos. A Sociologia no Ensino Médio: o que pensam os professores da rede Pública do Distrito Federal. 2002. Dissertação (Mestrado). Universidade de Brasília, Brasil.

SARANDY, Flávio Marcos Silva. A Sociologia volta à escola: um estudo dos manuais de sociologia para o ensino médio no Brasil. 2004. Dissertação (Mestrado) – UFRJ, Rio de Janeiro.

VIANNA, Luiz Werneck. Caminhos e Descaminhos da Revolução Passiva à Brasileira. Dados, Rio de Janeiro, v. 39, n. 3, 1996.

VILLAS BÔAS, Gláucia (Org). A importância de dizer não e outros ensaios sobre a recepção da Sociologia em escolas cariocas. Rio de Janeiro: Núcleo de Pesquisas de Sociologia da Cultura, 1998. (Série Iniciação Científica, n. 8).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2007v12n1p67

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International