Sobre a rotinização da Sociologia no Brasil: os primeiros manuais didáticos, seus autores, suas expectativas

Simone Meucci

Resumo


Este texto traz alguns dados sobre os primeiros manuais didáticos de sociologia elaborados no Brasil particularmente no período compreendido entre os anos de 1930 e 1945, quando houve uma produção notável destes livros. Analisamos as condições institucionais e editoriais que permitiram a formação deste conjunto de obras, procuramos identificar a origem intelectual de seus autores e as expectativas de que a disciplina era depositária.Constatamos que o estudo dos livros didáticos permite compreender o sentido que fora dado a sociologia no ensino secundário exatamente no período em que se mobilizavam esforços para a institucionalização acadêmica do conhecimento sociológico no país. Esta análise pretende, pois, contribuir para uma abordagem sociológica do processo de constituição da sociologia no Brasil.


Palavras-chave


Sociologia no Brasil; Manuais didáticos; Ensino da Sociologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares de. A institucionalização das Ciências Sociais no Rio de Janeiro. In: MICELI, Sérgio. História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Edições Vértice: 1989.

ALONSO,Ângela. De positivismo e de positivistas. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, Rio de Janeiro, n. 42, 2 sem. 1996.

ALVAREZ, Marcos César. Paulo Egidio e a Sociologia Criminal em São Paulo. Tempo Social, São Paulo, v. 12, n. 1, 2000.

AMOROSO LIMA, Alceu. Preparação à sociologia. Rio de Janeiro: D. Vital, 1931.

ARCHERO JR., Achiles. Lições de sociologia. 2. ed. São Paulo: Ed. Pub. Brasil, 1935.

AZEVEDO, Fernando. Princípios de sociologia. 3.ed. São Paulo: Nacional, 1939.

BARBOSA, Rosângela Nair de Carvalho. O projeto da UDF e a formação dos intelectuais. Dissertação de Mestrado, IFCS, UFRJ, 1996.

BEGA, Maria Tarcisa Silva. Gênese das Ciências Sociais no Paraná. In: OLIVEIRA, Márcio (Org.). As Ciências Sociais no Paraná. Curitiba: Protexto, 2006.

BOING, Guilherme. Sociologia cristã. Petrópolis: Vozes, 1938.

CANDIDO, Antonio. Sociologia, ensino, estudo. Sociologia, n. 3, v. 11, p. 275-289, 1949.

CARDOSO, Irene. A universidade da comunhão Paulista. São Paulo: Cortez Editores Associados, 1982.

CARLOS, Manuel. Sociologia outros aspectos da filosofia universal: solução dos problemas sociais). Rio de Janeiro: A. Leite, 1938.

CARNEIRO LEÃO, Antonio. Fundamentos de sociologia. Rio de Janeiro: Jornal do Comercio, 1940.

CARVALHO, Carlos Delgado. Práticas de sociologia. Porto Alegre: Globo, 1939.

CARVALHO, Delgado de. Geographia do Brasil. Rio de Janeiro: Impressões Artísticas, 1913.

CARVALHO, Delgado de. Sociologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1933.

CARVALHO, Delgado de. Sociologia experimental. Rio de Janeiro: Sauer, 1934.

CARVALHO, Delgado de. Sociologia educacional. São Paulo: Nacional, 1940.

COSTA PINTO, Luis. Ensino da sociologia nas escolas secundárias. Sociologia, n. 3, v. 11, p. 291-308, set. 1949.

EUFRÁSIO, Mario A. Estrutura urbana e ecologia humana: a escola sociológica de Chicago (1915-1940). São Paulo: Universidade de São Paulo, 1999.

FERNANDES, Florestan. O ensino da Sociologia na escola secundária brasileira. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 1., São Paulo, 1955. Anais ...São Paulo, 1955.

FONSECA, Tito Prates. Sociologia: problemas prévios. São Paulo: Saraiva, 1934.

FONTOURA, Afro do Amaral. Programa de sociologia. Porto Alegre: Globo, 1944.

FONTOURA, Afro do Amaral. Introdução à sociologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Aurora, 1953.

FRESTON, Paul. Um império na província: o Instituto Joaquim Nabuco em Recife. In: MICELI, Sérgio. História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Vértice, 1989. v. 1. LIMONGI, Fernando. Revista Sociologia: a

ELSP e o desenvolvimento da Sociologia em São Paulo. In: Textos IDESP. Série História das Ciências Sociais, n.1, 1987.

LIMONGI, Fernando. A Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. In: MICELI, Sérgio. História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Edições Vértice, 1989.

MENEZES, Djacir. Princípios de sociologia. Porto Alegre: Globo, 1934.

MERÈJE, Rodrigues de. Sociologia geral. São Paulo: Editorial Paulista, 1933.

MEUCCI, Simone. A experiência docente de Gilberto Freyre na Escola Normal de Pernambuco (1929-1930). Cadernos CRH, Salvador, v. 18, n. 44, 2005.

MEUCCI, Simone. Gilberto Freyre e a Sociologia no Brasil: da sistematização à constituição do campo científico. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - IFCH, Unicamp, 2006.

MICELI, Sérgio. Condicionantes do desenvolvimento das Ciências Sociais. In: MICELI, Sérgio (Org.). História das Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Vértice, 1989. v. 1.

MORAES, Amaury César. Licenciatura em ciências sociais e ensino de sociologia. Tempo Social, São Paulo, v. 15, 2003.

OMEGNA, Nelson. Geographia Economica. São Paulo: Escolas Profissionais do Liceu Coração de Jesus, 1931.

OMEGNA, Nelson. Elementos de sociologia. Campinas: Liv. João Amêndola, 1934.

PALLARES-BURKE, Maria Lucia Garcia. Gilberto Freyre: um vitoriano nos trópicos. São Paulo: Unesp, 2005.

PEETERS, Francisca. Noções de sociologia. 2. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1938.

PEREZ, Cilmara Ferrari. A formação sociológica das normalistas nas décadas de 20 e 30. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Unicamp, 2002.

PONTES, Heloísa. Retratos do Brasil: editores, editoras e ‘coleções brasiliana’ nas décadas de 30, 40 e 50. In: MICELI, Sérgio. (Org.). História das ciências sociais no Brasil. São Paulo: Edições Vértice, 1989. v. 1.

PONTES, Heloísa. Entrevista com Antonio Candido. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 17, n. 47, 2001.

REIS, V. Miranda. Ensaio de sinthese sociologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Ariel, 1935.

SALEM, Tânia. Do Centro D. Vital à Universidade Católica. In: SCHWARTZMAN, Simon. Universidades e Instituições Científicas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CNPq, 1982.

SELLARO, Leda Rejane Accioly. Educação e modernidade em Pernambuco: inovações no ensino público (1920-1937). Tese (Doutorado em História) - Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco, 2000.

SOMBRA, Severino. Formação da sociologia: introdução histórica às ciências sociais. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1941.

SORÁ, Gustavo. Brasilianas: a Casa José Olympio e a instituição do livro nacional. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Museu Nacional, UFRJ, 1998.

TOMAZI, Nelson. Considerações preliminares sobre a institucionalização da Sociologia no Paraná. In: OLIVEIRA, Márcio (Org.) As Ciências Sociais no Paraná. Curitiba: Protexto, 2006.

VECHIA, Ariclê; LORENZ, Karl Michael (Org.) Programa de ensino da Escola Secundária Brasileira (1850-1951). Curitiba: Editora do Autor, 1998.

VIANNA, Werneck. Institucionalização das Ciências Sociais e a reforma social: do pensamento social à agenda americana de pesquisa. In: ______. A revolução passiva; iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1997.

VICENZI, Lectícia de. A fundação da Universidade do Distrito Federal e seu significado para a educação no Brasil. Fórum Educacional, Rio de Janeiro, v. 10, n. 3, 1986.

VILA NOVA, Sebastião. Donald Pierson e a Escola de Chicago: entre humanistas e messiânicos. Lisboa: Vega Universidade, 1998.

VILA NOVA, Sebastião. Donald Pierson e a Escola de Chicago na Sociologia brasileira: entre humanistas e messiânicos. Lisboa: Vega Gabinete de Edições, 1998.

WEBER, Max. Economia e sociedade. 3. ed. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2007v12n1p31

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International