Fim da luta de classes? A teoria das classes em poder político e classes sociais a partir de maio de 1968 e sua peculiaridade em relação à corrente Althusseriana

Andriei Gutierrez

Resumo


Partindo de algumas interpretações sociológicas suscitadas pelo Maio de 1968, o artigo pretende resgatar a centralidade da teoria das classes sociais para o entendimento dos diferentes movimentos sociais e organizações coletivas. Para tanto, apóia-se nas contribuições da obra Poder político e classes sociais, de Nicos Poulantzas, procurando estabelecer quais são as suas peculiaridades, avanços e limites em relação ao processo de renovação do marxismo, de um modo geral, e, particularmente, no interior da corrente althusseriana. A tese geral é de que há nessa obra uma teoria das classes sociais presente em estado prático, cuja principal característica é o primado das práticas sociais na delimitação das classes sociais.


Palavras-chave


Marxismo; Nicos Poulantzas; Classes sociais; Althusserianismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. La revolución teórica de Marx. Buenos Aires: Siglo XXI, 1974.

ALTHUSSER,Louis; BALIBAR, Étienne.Lire le Capital. Paris:Maspero,1971. 2 v.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálisedoconhecimento. Riode Janeiro: Contraponto,1996.

BELL, Daniel. O advento da sociedade pós-industrial: umatentativadeprevisão social.São Paulo: Cultrix,1977.

BOITO, Armando. A (difícil) formação da classe operária. In: ______ et alii. Marxismo e ciências humanas.São Paulo: Xamã, 2003.

CARDOSO, Fernando H. Althusserianismo ou marxismo? A propósito do conceito de classes em Poulantzas: comentários. Estudos Cebrap,São Paulo, n. 3,p.65-85, jan.1973.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça na era pós-socialista. In: SOUZA, Jessé (Org.). Democracia hoje: novos desafios para a teoriademocráticacontemporânea. Brasília: Ed.da UNB, 2001.

HIRANO, Sedi. Castas, estamentos e classes sociais. São Paulo: Alfa Omega, 1973.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo:Ed. 34, 2003.

LEGER, Danièle. Pour une sociologie marxiste du politique: itinéraire de Nicos Poulantzas. Revue Française de Sociologie, v.17, n. 3, jul.-set.,1976.

LOCKWOOD, David. El trabajador de la clase media: un estúdio sobre la concienciade clase. Madrid:Aguilar,1962.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MATOS, Olgaria C.F. Tardesde Maio. In: SHERER,Amanda Eloina; NUSSBAUMER, Gisele;FANTI, Mariada Gloriadi (Org.). Utopias & Distopoas: 30anosde maiode 68.Santa Maria: UFSM,1999.

MILLS, Wright.A nova classe média. Riode Janeiro: Zahar,1979.

POULANTZAS, Nicos. Poder político e classes sociais. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

RUMIANTSEV,Alexei.La estructura de la Clase Obrera de los Países Capitalistas. Praga: Paz ySocialismo,1963.

SAES, Décio. Marxismo e história. Crítica Marxista, São Paulo, v.1, p. 39-59, 1994.

______. A questão da autonomia relativa do Estado em Poulantzas. Crítica Marxista, São Paulo, v.7,p. 46-66,1998.

TOURAINE,Alain.La sociedad post-industrial. Barcelona: Ariel,1971. WRIGHT, Eric Olin. Classe, crise e Estado. Riode Janeiro: Zahar,1981.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2007v12n2p90

Direitos autorais 2020 Mediações - Revista de Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International