Infraestruturas, economia e política informacional: o caso do google suite for education

Henrique Parra, Leonardo Cruz, Tel Amiel, Jorge Machado

Resumo


O artigo examina o contexto e possíveis efeitos sociopolíticos da adoção de infraestruturas e serviços de tecnologias de comunicação corporativos no ambiente educacional e universitário brasileiro. Tomando o caso específico dos acordos entre universidades públicas brasileiras e a suíte de aplicativos educacionais da empresa Google, objetivamos refletir sobre sua economia política informacional, baseada em mecanismos de controle e vigilância dos dados digitais, e problematizar a emergência de novas formas de conhecimento e exercício do poder.

Palavras-chave


Google; Infraestrutura; Privacidade; Vigilância; Controle; Economia informacional.

Texto completo:

PDF

Referências


BANISAR, Dave; GUILLEMIN; Gabrielle; BLANCO, Marcelo. Proteção de dados pessoais no Brasil: análise dos projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional. Artigo 19, São Paulo, nov. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2018.

BRASIL. Decreto Nº 8.135, de 4 de novembro de 2013. Dispõe sobre as comunicações de dados da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e sobre a dispensa de licitação nas contratações que possam comprometer a segurança nacional.

COLE, David. We kill people based on metadata. The New York review of books. 2014.

CRUZ, Leonardo Ribeiro. Novos modelos de negócio, vigilância ubíqua e as transformações no desenvolvimento da internet. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 12, p. 203-216, 2016.

EFF - ELECTRONIC FRONTIER FOUNDATION. Spying on students: school-issued devices and student privacy. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.

ESCOBAR, Herton. Orçamento de ciência e tecnologia pode encolher ainda mais em 2018. Estadão, São Paulo, 11 jun. 2017.

H. .PARRA | L. CRUZ | T. AMIEL | J. MACHADO | Infraestruturas, Economia e Política Informacional 97.

FEENBERG, Andrew. Transforming technology: a critical theory revisited. New York: Oxford University Press, 2002.

FUCHS, Christian. Web 2.0, prosumption, and surveillance. Surveillance & Society, v. 8, n. 3, 2011, p. 288-309.

GOOGLE e Facebook concentram 20% da publicidade global. Meio&Mensagem, São Paulo, 4 maio 2017.

GOOGLE FOR EDUCATION. Informações sobre privacidade e segurança.

HUGHES, Thomas Parke. Networks of power: electrification in western society, 1880- 1930. Baltimore: JHU Press, 1983.

KANASHIRO, Marta. Dessas coisas que não dá para entender (mas que a gente deveria entender). 2016.

LINDH, Maria; NOLIN, Jan. Information we collect: surveillance and privacy in the implementation of Google apps for education. European Educational Research Journal, Oxford, v. 15, n. 6, p. 644 – 663, jul. 2016.

NSA prism program taps in to user data of apple, google and others. The Guardian, 7 Jun. 2013.

PARRA, Henrique Z. M. Abertura e controle na governamentalidade algorítmica. Revista Ciência e Cultura, São Paulo, v. 68, n. 1, jan./mar. 2016.

PARRA, Henrique Z. M. Controle social e prática hacker: tecnopolítica e ciberpolítica em redes digitais. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 15, n. 1, p. 109-120, jan./jun. 2012.

PARRA, Henrique Z. M.; ABDO, Alexandre H. Tendências democráticas e autoritárias, arquiteturas distribuídas e centralizadas. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 334-349, nov. 2016.

PAYÃO, Felipe. Governo Temer vai abandonar software livre para comprar produtos Microsoft. 2016.

ROSSINI. Carolina; MOORE, Taylor. Exploring zero-rating challenges: views from five countries. Washington: Public Knowledge, 2015.

ROUVROY, Antoinette; BERNS, Thomas. Governamentalidade algorítmica e perspectivas de emancipação: o díspar como condição de individuação pela relação? Revista ECO-Pós, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 36-56, out. 2015.

SMYRNAIOS, Nikos. L’effet GAFAM: stratégies et logiques de l’oligopole de l’internet (pre-print). Communication & Langages, Paris, n. 188, p. 61–83, 2016.

TITCOMB, James (Ed.). Google hit with record £2.1bn EU fine for abusing internet search monopoly. The Telegraph, 27 June 2017. UNICAMP. Políticas de privacidade para o serviço Google APPS for Education Unicamp. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2018.

UNIVERSIDADE uruguaia teme que acordo entre governo e Google ajude espionagem. Agência EFE, Montevidéu, 9 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2018.

USP - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Superintendência Tecnologia da Informação. Sobre o acordo de cooperação USP e Google. 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2018.

ZUBOFF, Shoshana von. The secrets of surveillance capitalism. 2016.

H. .PARRA | L. CRUZ | T. AMIEL | J. MACHADO | Infraestruturas, Economia e Política Informacional 99

ZUBOFF, Shoshana. Big other: surveillance capitalism and the prospects of an information civilization. Jounal of Information Technology, Oxford, v. 30, p. 75-89, abr. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n1p63

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International