“As leis são uma invenção”: Por uma racionalidade epistêmica protagonizada pelos Akrãtikatêjê (Gavião da Montanha)

Ribamar Ribeiro Junior

Resumo


Este trabalho opera com algumas categorias para problematização do Estado a partir de dados etnográficos sobre os Akrãtikatêjê, trazendo à tona as contribuições de uma antropologia que dialoga com a possibilidade de um rompimento epistêmico. Para tanto, são necessárias algumas reflexões que nos apontem para esse caminho, entendendo a efetiva participação dos sujeitos que estão acumulando experiências em suas trajetórias de luta, dando sentido ao lugar de pertencimento e expressando as implicações que o Estado traz através de sua forma de atuação desencadeada pelos processos de colonização.

Palavras-chave


Akrãtikatêjê; Estado; Território.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalismo. New York: Verso, 1983

AZANHA, Gilberto. A Forma Timbira: Estrutura e Resistência. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1984

CAMATI, Odair. Uma análise da razão de estado em Michel Foucault a partir do curso Segurança, Território e População. In: Revista Intuitio. Porto Alegre. Vol.8 – Nº.1. 2015

DAS, Veena & POOLE, Deborah - El Estado y sus margens. Revista Académica de Relaciones Internacionales, núm. 8 junio de 2008, GERI-UAM

ESCOBAR, Arturo. Encountering Development. The making and unmakig of the Third World. Princeton: Princeton University Press, 1995.Tradução Espanhol em PDF.

La Invención del Tercer Mundo. Construcción y desconstrucción del desarrollo. Caracas, 2007

______.Culture sits in places: reflections on globalism and subaltern strategies of localization. In: Political Geography 20 (2001) 139-174

FERRAZ, I. Os Parkatêjê das matas do Tocantins: a epopeia de um líder Timbira. São Paulo: USP, 1983. (Dissertação de Mestrado)

______. De “Gaviões” a “Comunidade Parkatêjê” : Uma reflexão sobre processos de reorganização social. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1998. (Tese de doutorado).

FANON, Franz. Da Violência no contexto internacional. In. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968, p. 75-85.

_______Guerra colonial e perturbações mentais. Série A. In. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1979, p. 211-229.

FOUCAULT, Michel. Tecnologías del yo y otros textos afines. Introducción de Miguel Morey. Barcelona: Paidós, 1990

______Segurança, Território, População. São Paulo: Martins Fontes, 2008. pp. 383 -488.

______Nascimento da Biopolítica. Curso dado no Collège de France (1978-1979). Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008, p.6.

GUIMARÃES, Mariana Texeira. Na luta pela terra, entraves e sonhos. Payaré e o povo Akrãtikatêjê. UFPA, (Trabalho de Conclusão de Curso). 2011.

MIGNOLO, Walter. Desobediência Epistêmica: A Opção Descolonial e o Significado de Identidade em Política. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, no 34, p. 287-324, 2008

MOUFFE, Chantal. Por uma política da identidade nômade. Debate Feminista. Edição Especial, São Paulo, Companhia Melhoramentos, 1999

NIMUENDAJU, Curt (1946). The Eastern Timbira. Berkeley and Los Angeles. University of California Publications in American Archaelogi dan Ethnology, v. 41.1946, 1-35.

PAIARÉ, Hõpryre Rõnôre Jõpikti. Texto de Transcrição de Entrevista realizada em janeiro de 2014.

QUIJANO, Anibal - Colonialidade, Poder, Globalização e democracia. Revista Novos Rumos, No. 37, Ano 17, 2002.

RESTREPO, Eduardo. “Desdisciplinar a antropologia”: diálogo com Eduardo Restrepo. Horiz. Antropol. Vol.20 no.41 Porto Alegre Jan./June 2014

RIBEIRO JR, Ribamar. Akrãtikatêjê: Resistência e Dominação na luta pelo Território., Unifesspa, 2014. (Dissertação de Mestrado)

______ Paiaré, Uma História de Resistência. In: RICARDO, Beto & RICARDO, Fani. Povos Indígenas do Brasil: 2011-2016, São Paulo, Instituto Socioambiental, 2017

SOUZA FILHO, C. F. M. O Renascer dos Povos indígenas para o Direito. 1ª Ed. Juruá, Curitiba: 2008.

SOUZA LIMA, Antonio Carlos. “O exercício da tutela sobre os povos indígenas: nconsiderações para o entendimento das políticas indigenistas no Brasil contemporâneo”, “Dossiê Fazendo Estado”, Revista de Antropologia, USP, vol 55(2), julho-dezembro de 2012, São Paulo

SAID, Edward. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Cia das Letras, 1995.

ZHOURI, Andréa. Povos Tradicionais, Meio Ambiente e Colonialidade. In: Dieter Gawora e Felisa Anaya (orgs.). Povos e Comunidades Tradicionais: contribuic?o?es para um outro desenvolvimento (prelo - 2016).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2017v22n2p204

Direitos autorais 2020 Mediações - Revista de Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International