O Território Terena: Da Expropriação E Formação Das Reservas Ao Movimento Das Retomadas

Lenir Gomes Ximenes, Levi Marques Pereira

Resumo


No final do século XIX, intensificaram-se as ondas de colonização extrativistas e agropastoris no sul do antigo estado de Mato Grosso, atual Mato Grosso do Sul. Para os Terena, esse processo resultou na expropriação de territórios de ocupação tradicional, no recrutamento compulsório de homens e mulheres como mão de obra nos empreendimentos particulares, e na perda gradativa da autonomia política das comunidades. No início do século XX, foram criadas as reservas, com áreas muito inferiores às terras de ocupação tradicional. Ainda assim, os Terena reorganizaram-se nesses espaços, e, no final do século XX, aproveitando o processo de redemocratização da sociedade brasileira, passaram a protagonizar novas formas de reivindicação da demarcação de seus territórios tradicionais. Nesse novo contexto, evidencia-se o despertar guerreiro, que passa a conviver lado a lado com a conduta diplomática, que até então caracterizou o modo de ser terena. O despertar guerreiro é marcado por uma participação crescente das mulheres, também guerreiras, ampliando a participação feminina nos espaços públicos e na esfera política.

Palavras-chave


Terena. Território. Reservas indígenas.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, Luiz Henrique Eloy. Poké’exa Ûti: o território indígena como direito fundamental para o etnodesenvolvimento local. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2014.

AMADO, Luiz Henrique Eloy; SANTOS, Augusto Ventura dos. Os Terena e o Ensino Superior para indígenas no Mato Grosso do Sul. In: CARNEIRO DA CUNHA, Manuela; CESARINO, Pedro de Niemeyer (Orgs.). Políticas culturais e povos indígenas. São Paulo: Unesp, 2014.

ARAÚJO, José Dias de. Telegrama, 08 de abril de 1954. Microfilme 004_00018. Arquivo SPI/IR5/Museu do Índio. Cópia no Centro de Documentação Teko Arandu/NEPPI/UCDB, Campo Grande.

AZANHA, Gilberto. Resumo do relatório circunstanciado de identificação e delimitação da terra indígena Taunay-Ipegue. In: Processo FUNAI/BSB nº. 0289/85.

Brasília, FUNAI. Diário Oficial da União, 13 ago. 2004, p. 42, Seção 1.

BESPALEZ, Eduardo. As formações territoriais na terra indígena Lalima, Miranda/MS: os significados históricos e culturais da fase Jacadigo da tradição pantanal. Tese (Doutorado em Arqueologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

BITTENCOURT, Circe M.; LADEIRA, Maria E. A História do Povo Terena. MEC: Brasília, 2000.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 5 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em 10 jan. 2014.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. Do índio ao bugre: o processo de assimilação dos Terena. 2ª ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1976.

CARNEIRO DA CUNHA. Manuela (Org.). História dos índios no Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

CASTRO, Iára Quelho de; VARGAS, Vera Lúcia Ferreira. Povos indígenas e políticas estatais autoritárias no Brasil. In.: MARTINS JÚNIOR, Carlos; SOTANA, Edvaldo Correa; SOUSA NETO, Miguel Rodrigues (Orgs.). Democracias e ditaduras no mundo contemporâneo. Campo Grande: UFMS, 2015, p. 97-119.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; PEREIRA, Levi Marques. “Duas no pé e uma na bunda”: da participação terena na guerra entre o Paraguai e a Tríplice Aliança à luta pela ampliação dos limites da Terra Indígena Buriti. História em Reflexão, Dourados, n.2, v.1, p.1-20, 2007.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; PEREIRA, Levi Marques. Perícia antropológica e histórica da área reivindicada pelos Terena para a ampliação dos limites da Terra Indígena Buriti, municípios de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, Mato Grosso do Sul, Brasil. Autos nº 2001.60.00.003866-3, 3ª vara da 1ª subseção judiciária de Mato Grosso do Sul, 2003.

EREMITES DE OLIVEIRA, Jorge; PEREIRA, Levi Marques. Terra Indígena Buriti: perícia antropológica, arqueológica e histórica sobre uma terra terena na Serra de Maracaju. Dourados: UFGD, 2012.

FERREIRA, Andrey Cordeiro. Tutela e resistência indígena: etnografia e história das relações de poder entre os Terena e o Estado brasileiro. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

FIORAVANTI, Anulpho. Ofício, 13 de junho de 1942. Posto Indígena Lalima. Pasta 93, caixa 17, planilha 149, microfilme 151. Arquivo SPI/IR5/Museu do Índio.

GABRIEL, Devane. Mulheres Terena: das universidades para as terras de Retomadas da Aldeia Buriti em busca do direito coletivo: terra mãe. In: Tellus, Campo Grande, n. 28, p. 157-163, 2015.

HORTA BARBOSA, Nicolau Bueno. Memorial relativo à demarcação das terras do Brejão. Campo Grande, 1924. 27 p. In: Processo 1059/82, CGAF, FUNAI, Brasília.

HORTA BARBOSA, Nicolau. Carta do Chefe da I.R. 5 ao Dr. Manuel Bonifácio Nunes da Cunha, de 1º de outubro, ano ilegível. Sede da Inpetoria. Pasta 666, caixa 31, planilha 310, microfilmes 65-66. Arquivo SPI/IR5/Museu do Índio.

LASMAR, Denise P. O acervo imagético da Comissão Rondon no Museu do Índio 1890- 1938. 2. ed. Rio de Janeiro: Museu do Índio, 2011.

LONG, N.; PLOEG, J. P. Heterogeneidade, ator e estrutura: para a reconstituição do conceito de estrutura. In: SCHNEIDER; S.; GAZOLLA, M. (Orgs.). Os atores do Desenvolvimento Rural: perspectivas teóricas e práticas sociais. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2011. p. 21-48.

MACIEL, Laura Antunes. A Nação por um fio: caminhos, práticas e imagens da Comissão Rondon. São Paulo: EDUC, 1998.

MARIZ, Alceu Cotia. Relatório de identificação e delimitação da Terra Indígena do Limão Verde. Brasília: FUNAI, 1997. (não publicado)

MOURA, Noemia dos Santos Pereira Moura. O processo de terenização do cristianismo na terra indígena Taunay/Ipegue no século XX. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

MOURA, Noemia dos Santos Pereira Moura. Relatório antropológico da Inspeção Judicial em áreas das fazendas Ouro Preto, Cristalina e Ipanema, e na comunidade indígena (aldeia) Taunay-Ipegue, em Aquidauana, Mato Grosso do Sul, Brasil. In: Revista Ñanduty, Dourados, v. 1, n. 1, p. 155-194, 2012.

OLIVEIRA, Éder Alcântara. História dos Terena da Aldeia Buriti: memória, rituais, educação e luta pela terra. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2013.

PEREIRA, Levi Marques. 2009. Os Terena de Buriti: formas organizacionais, territorialização e representação da identidade étnica. Dourados: Editora da UFGD.

PERINE DE ALMEIDA, Carolina. Os troncos, suas raízes e sementes. Dinâmicas familiares, fluxos de pessoas e história em aldeias Terena. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade de Brasília, 2013.

RIBEIRO, Darcy. Relatório, de 19 de novembro de 1948. Microfilme 003_01412, Arquivo SPI/IR5/Museu do Índio. Cópia no Centro de Documentação Teko Arandu/NEPPI/UCDB, Campo Grande.

SALVADOR, Mario Ney Rodrigues. Os índios Terena e a agroindústria no Mato Grosso do Sul: a relação capital-trabalho e a questão indígena atual. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

SCOTT, James C. Los dominados y el arte de la resistencia. México: Ediciones ERA, 2000.

VARGAS, Vera Lúcia Ferreira. A dimensão sociopolítica do território para os Terena: as aldeias nos séculos XX e XXI. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2011.

VARGAS, Vera Lúcia Ferreira. A construção do território Terena (1870-1966): uma sociedade entre a imposição e a opção. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Dourados, 2003.

VIEIRA, Benedito. Declaração, de 13 de agosto de 1964. Microfilmes 020_2248 –020_2249, Arquivo SPI/IR5/Museu do Índio. Cópia no Centro de DocumentaçãoTekoArandu/NEPPI/UCDB, Campo Grande.

WERNEK, Roberto Vieira dos Santos. Relatório de 1922, apresentado pelo encarregado do posto de Cachoeirinha Roberto Vieira dos Santos Wernek ao Ilustríssimo Sr. Doutor Antonio Viana Martins Estigarribia. Inspetor do Serviço de Proteção aos Índios, 1922. In: Processo 465/93, p. 617 a 665, DAF, FUNAI, Brasília, Filme 379.

XIMENES, Lenir Gomes. A Retomada terena em Mato Grosso do Sul: oscilação pendular entre os tempos e espaços da acomodação em reservas, promoção da invisibilidade étnica e despertar guerreiro. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2017.

XIMENES, Lenir Gomes. Terra Indígena Buriti: estratégias e performances terena na luta pela terra. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2017v22n2p24

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International