O Estado e as políticas públicas que tornaram a agricultura familiar uma agente importante do desenvolvimento

Giovanni Barillari de Freitas

Resumo


Este artigo parte da hipótese de que o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) foi um marco definitivo para os pequenos produtores rurais, até então excluídos das políticas públicas nacionais. Já que, após sua criação em 1995 e, principalmente, após o ano de 2003, as conquistas das famílias agricultoras se expandiram na direção de leis e políticas públicas que permitissem apontá-las como indivíduos integrados à sociedade capitalista. Desta maneira, o objetivo do artigo é mostrar a inclusão dos pequenos produtores rurais como atores do desenvolvimento nacional. Para isso, a pesquisa se utiliza do arcabouço teórico da sociologia reflexiva de Pierre Bourdieu no que tange seus estudos sobre o Estado e a construção de mercados, com a intenção de identificar elementos para além do econômico, como os institucionais, que constroem os mercados da agricultura familiar. 


Palavras-chave


Agricultura Familiar; Pronaf; Desenvolvimento Rural.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n2p366

Direitos autorais 2018 Mediações - Revista de Ciências Sociais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons