As Bases Sociais das Novas Centrais Sindicais Brasileiras

Karolina Guedes de Oliveira

Resumo


A presente resenha da obra As Bases Sociais das Novas Centrais Sindicais Brasileiras, elaborada em coautoria pelas pesquisadoras: Paula Marcelino, Andreia Galvão e Patrícia Vieira Trópia, objetiva apresentar a reorganização do sindicalismo brasileiro após a ascensão do Partido dos Trabalhadores ao governo federal. O contexto é marcado pela cisão da CUT em correntes dissidentes que formaram novas centrais sindicais, são elas, a CSP-Conlutas, a Intersindical, a CTB e a UGT. A pesquisa realizada pelas autoras permite traçar o perfil socioeconômico e político dos delegados. Por meio de surveys em congressos e plenárias, pode-se delinear as concepções políticos partidárias, as bandeiras de luta, o setor econômico predominante das centrais, entre outros aspectos.    


Palavras-chave


Sindicalismo; Centrais sindicais; Perfil socioeconômico; Perfil político-partidário

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2017v22n1p390

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International