Democracia racial brasileira: uma piada sem graça

Fernando Lana Ferreira

Resumo


Os debates em torno do racismo brasileiro são protagonizados há décadas por duas interpretações opostas. Uma tenta provar que há preconceito no Brasil e que ele afeta as relações raciais na vida de negros e brancos. A outra interpretação valoriza o fato de que o povo brasileiro vive em uma democracia racial que não discrimina e que oferece oportunidades iguais a todos. Este artigo pretende participar deste debate analisando manifestações de racismo brasileiras, incluindo as mensagens contidas nas inocentes piadas racistas.

Palavras-chave


Formas simbólicas; Ideologia; Piada; Racismo

Texto completo:

PDF

Referências


ABI - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA. Caso Maju: quatro são

denunciados por racismo. 2016a. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2017.

ABI - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA. Repórter recebe ameaças após

reportagem na TV. 2016b. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2016.

AMAR, Paul. Táticas e termos da luta contra o racismo institucional nos setores

de polícia e de segurança. In: AMAR, Paul. Elemento suspeito: abordagem policial

e discriminação na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,

p. 229-281

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal.

Tradução de José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo: antissemitismo, imperialismo,

totalitarismo. Tradução: Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

AZEVEDO, Célia Maria Marinho de. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário

das elites – século XIX. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

BENTO, Maria Aparecida Silva; CARONE, Iray (Org.). Psicologia social do racismo:

estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes,

CARLIN, John. Conquistando o Inimigo: Nelson Mandela e o jogo que uniu a África do

Sul. Rio de Janeiro: Sextante, 2009.

CARVALHO, José Jorge de. Usos e abusos da antropologia em um contexto de tensão

racial: o caso das cotas para negros na UNB. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre,

ano 11, n. 23, p. 237-246, jan./jun. 2005.

CHAUI, Marilena. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. 13. ed.

São Paulo: Cortez, 2011.

FAZZI, Rita de Cássia. O drama racial de crianças brasileiras: socialização entre pares e

preconceito. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

MEDIAÇÕES, LONDRINA, V. 23 N. 1, P. 193-242, JAN.-ABR. 2018 240

FERREIRA, Lígia F. “Negritude”, “Negridade”, “Negrícia”: história e sentidos de

três conceitos viajantes. Via Atlântica, São Paulo, n. 9, p. 163-183, 2006. Disponível

em: . Acesso em:

dez. 2015.

FERREIRA, Pedro. Mãe denuncia racismo contra filha de 4 anos; aluna é xingada de

‘preta horrorosa’. 2012. Disponível em: < https://www.geledes.org.br/mae-denunciaracismo-contra-filha-de-4-anos-aluna-e-xingada-de-preta-horrorosa/>. Acesso em:

jun. 2016.

FIGUEIREDO, Ângela; GROSFOGUEL, Ramón. Racismo à brasileira ou racismo

sem racistas: colonialidade do poder e a negação do racismo no espaço universitário.

Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 12, n. 2, p. 223-234, 2009. Disponível em:

revistas.ufg.br>. Acesso em: 10 dez. 2016.

FONSECA, Dagoberto José. Você conhece aquela? a piada, o riso e o racismo à brasileira.

São Paulo: Selo Negro, 2012.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Combatendo o racismo: Brasil, África do Sul

e Estados Unidos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 14, n. 39, p. 103-

, 1999.

HABIB, Paula Atantes Botelho Briglia. “Eis o mundo encantado que Monteiro Lobato

criou”: raça, eugenia e nação. 2003. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade

Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

HARARI, Yuval Noah. Sapiens: uma breve história da humanidade. 12. Ed. Tradução:

Janaína Marcoantonio. Porto Alegre, RS: L&PM, 2016.

HART, Carl. “Nosso lar é onde está o ódio”. In: ______. Um preço muito alto: a jornada

de um neurocientista que desafia nossa visão sobre as drogas. Rio de Janeiro: Zahar,

KALY, Alain Pascal. O ser preto africano no “paraíso terrestre” brasileiro: um

sociólogo senegalês no Brasil. Lusotopie, Liboa, p. 105-121, 2001.

KAMEL, Ali. Não somos racistas: uma reação aos que querem nos transformar numa

nação bicolor. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

LIMA, Marcus Eugênio Oliveira; VALA, Jorge. As novas formas de expressão do

preconceito e do racismo. Estudos de Psicologia, Natal, v. 9, n. 3, p. 401-411, dez. 2004.

LOBATO, Monteiro. Peter Pan: a história do menino que não queria crescer, contada

por Dona Benta. São Paulo: Editora Brasiliense, 1953.

FERNANDO LANA FERREIRA | Democracia Racial Brasileira: Uma Piada sem Graça 241

MOREIRA, Adilson. Ações afirmativas e interesses estatais: políticas raciais como

instrumentos de transformação social. 2010. Disponível em:

observatoriodaeducacao.org.br>. Acesso em: 28 abr. 2015

MUSUMECI, Leonarda; RAMOS, Silvia. Elemento Suspeito: abordagem policial e

discriminação na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo

mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

NASCIMENTO, Abdias; LARKIN, Elisa. Nelson Mandela no Brasil. In:

NASCIMENTO, Abdias. Grandes vultos que honraram o Senado. Brasília: Senado

Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2014. p. 254-258.

NASCIMENTO, Elisa Larkin. O sortilégio da cor: identidade, raça e gênero no Brasil.

São Paulo: Selo Negro, 2003.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito racial de marca e preconceito racial de origem:

sugestão de um quadro de referência para a interpretação do material sobre relações

raciais no Brasil in Tempo Social, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 287-308, 2007. Disponível em:

. Acesso em: 30 ago. 2015

OLIVEIRA, Eduardo de Oliveira e. O mulato, um obstáculo epistemológico. Revista

Argumento, Rio de Janeiro, Ano 1, n. 3, p. 65-73, jan. 1974.

O’REILLY, Bill; DUGARD, Martin. Os últimos dias de John F. Kennedy. Porto Alegre,

RS: L&PM, 2013.

PENA, Sérgio D. J. Humanidade sem raças? São Paulo: Publifolha, 2008.

SANTOS, Ivair Augusto Alves dos. Direitos humanos e as práticas de racismo. Brasília:

Câmara dos Deputados; Edições Câmara, 2013.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na

sociabilidade brasileira. São Paulo: Claro Enigma, 2012.

SILVA, Consuelo Dores. Negro, qual é o seu nome? Belo Horizonte: Mazza, 1995.

SILVA, Maria Nilza da. O Negro no Brasil: um problema de raça ou de classe? Revista

Mediações, Londrina, v. 5, n. 2, p. 99-124, 2000.

SOUZA, Ricardo Alexandre Santos. Agassiz e Gobineau: as ciências contra o Brasil

Mestiço. 2008. Dissertação (Mestrado de História das Ciências e da Saúde) - Fundação

Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2008.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios

de comunicação de massa. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

MEDIAÇÕES, LONDRINA, V. 23 N. 1, P. 193-242, JAN.-ABR. 2018 242

THURAM, Lilian. As minhas estrelas negras: de Lucy a Barack Obama. Tradução de

Suzana Souza e Silva. Lisboa, Portugal: Tinta-da-China, 2013.

TURRA, Cleusa; VENTURI, Gustavo. Racismo cordial: a mais completa análise sobre

preconceito de cor no Brasil. São Paulo: Ática, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2018v23n1p193

Direitos autorais Mediações - Revista de Ciências Sociais



  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International