Tecnorredenção de corpos transexuais. Apropriação tecnológica e augestão de identidades inconclusas

Alejandra Roca, María Alejandra Dellacasa

Resumo


Neste trabalho nos propomos indagar as intervenções e procedimentos que arbitram os limites entre noções de corpo, sexualidade e natureza. Baseado em um trabalho etnográfico em instituições públicas de Buenos Aires e La Plata (Argentina), formulam-se questões a respeito dos processos médico-legais de “redesignação sexual” em pessoas transexuais, que ilustram a forma em que se desdobram sentidos sobre a plasticidade e precariedade das “essências humanas” enquanto tensão entre o que as pessoas são (identidade) e o que querem ser (projeto). São discutidas as propostas do transhumanismo, entendendo que a dimensão soteriológica das biociências habilita as esperanças da tecnorredenção. Em última instância, pretendese contribuir com a reflexão acerca do papel das categorias científicas e do conteúdo político da emergência de identidades e resistências coletivas sobre a tutela do controle cognitivo e material das biociências.

Palavras-chave


Biociências; Transexualidade; Corpo; Identidades ciborgues.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2015v20n1p239

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons