Cultura do medo e Democracia: um paradoxo brasileiro

Débora Regina Pastana

Resumo


Esse artigo analisa a insegurança social presente na sociedade brasileira contemporânea. Essa reflexão busca compreender como o medo, no caso associado à criminalidade, se tornou tão evidente no período democrático recente da história nacional e de que maneira ele interfere nas relações sociais e nas políticas públicas de segurança.Esse alarme social é considerado, nesta análise, uma via simbólica para o autoritarismo que só subsiste com a degradação da sociabilidade e o enfraquecimento da cidadania.


Palavras-chave


Medo; Criminalidade; Democracia; Autoritarismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2005v10n2p183

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br