Jogos discursivos: dominação e resistência na América Latina

Angela Patricia Felipe Gama, Fábio Marques de Souza

Resumo


Toda forma de dominação se dá, primeiramente, no discurso. A língua, ao mesmo tempo em que aproxima, domina, exemplo dessa ‘aproximação’ foi a escolha da cidade de Rosario (Argentina) como “Capital da Língua Espanhola” para sediar – em 2004 – o III Congresso Internacional da Língua Espanhola, organizado pela Academia Real Espanhola e realizado pelo Instituto Cervantes. A iniciativa gerou um contra-congresso: o I Congresso daS LínguaS: para o reconhecimento de uma Iberoamérica pluricultural e multilíngüe – que surgiu como forma de luta e resistência de movimentos sociais e políticos locais. Atitudes como essa pode ser o primeiro passo para que abandonemos o plano da utopia rumo à realidade transformadora. O contra-congresso do qual participamos será o foco deste artigo, onde discutimos o papel da língua como meio de transformação da realidade.


Palavras-chave


Discurso; Multilingüe; América Latina.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2005v10n2p105

Direitos autorais 2020 Mediações - Revista de Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International