Movimento da negritude: uma breve reconstrução histórica

Petrônio José Domingues

Resumo


O objetivo deste artigo é reconstruir em concisos apontamentos, a história do movimento da negritude, apresentando alguns de seus dilemas, contradições e reflexo no interior do movimento negro internacional na luta pela libertação dos povos africanos e da diáspora. Por último abordaremos como esse movimento foi introduzido no Brasil.


Texto completo:

PDF

Referências


MUNANGA, Kabengele. Negritude; usos e sentidos. 2ª edição. São Paulo: Ática, 1988. p. 37.

NASCIMENTO, Elisa Larkim. Pan-africanismo na América do Sul. Petrópolis: Vozes, 1981. p. 102.

BERND, Zilá. A questão da negritude. São Paulo: Brasiliense, 1984. p. 30.

DAMATO, Diva. "Negritude, negritudes". Revista Através, no 1, São Paulo, 1983. p. 118.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. Alexandre Pomar. Porto: Paisagem, s/d. p. 131.

SARTRE, Jean-Paul. Reflexões sobre o racismo. Trad. J. Guinsburg. 5ª edição. São Paulo: Difel, 1968. p. 104.

BERND, Zilá. O que é Negritude. São Paulo: Brasiliense, 1988. p. 16.

NASCIMENTO, Abdias do. O negro revoltado. Rio de Janeiro: GRD, 1968. p. 50.

MOURA, Clóvis. “Os dilemas da negritude”. In: Brasil: as raízes do protesto negro. São Paulo: Global Ed., 1983. p. 103.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2005v10n1p25

Direitos autorais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International