A judicialização das relações familiares: uma análise do fenômeno na perspectiva da sociedade de risco

Aloisio Ruscheinsky, Melissa Demari

Resumo


Na contemporaneidade, a previsibilidade e a segurança das relações sociais, enquanto valores consagrados e sedimentados pela modernidade, cederam lugar à insegurança e inerentes riscos das mudanças. A insegurança, enquanto fenômeno contemporâneo produzido pelo avanço tecnológico, irradia seus efeitos em todas as dimensões da vida humana, notadamente nas dimensões física, psicológica e social. Este processo está no alicerce da percepção dos riscos como eixo-social fundamental da análise das ciências sociais. Nessa perspectiva, a forma do indivíduo pensar e constituir a si próprio criou inúmeros avanços e possibilidades para a reconfiguração das instituições sociais. Não obstante, na vida cotidiana, com suas relações formais e informais e com a publicização da intimidade, os indivíduos se digladiam entre a segurança do passado e as possibilidades do futuro.


Palavras-chave


Risco; Modernidade; Judicialização.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2010.

BECK, Ulrich. Teoria de la sociedade del riesgo. In: BERIAIN, Josetxo (Coord.). Las consecuencias perversas de la modernidad: modernidad, contingencia y riesgo.

Barcelona: Anthropos, 1996. p. 201-222.

BECK, Ulrich; BECK-GERNSHEIM, Elisabeth. El normal caos del amor: las nuevas formas de la relación amorosa. Barcelona: Paidós, 2001.

BECK, Ulrich; BECK-GERNSHEIM, Elisabeth. La individualización: el individualismo institucional y sus consecuencias sociales y políticas. Barcelona: Paidos, 2003.

DISTRITO FEDERAL. Tribunal de Justiça. Processo nº 2013.01.1.046795-0 Cobrança: Autora: Suzana Oliveira del Bosco Tardim. Réu: Sérgio Antonio Pinheiro de Oliveira. Juiz: Luciano dos Santos Mendes. Julgado em : 8 set. 2014.

GIDDENS, Anthony et al. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na

ordem social moderna. São Paulo: UNESP. 1997.

GUIVANT, Julia S. A trajetória das análises de risco: da periferia ao centro da teoria

social. Revista Brasileira de Informações Bibliográficas, Rio de Janeiro, v. 46, p. 3-38, 1998.

HABERMAS, Jürgen. A nova intransparência: a crise do Estado de bem-estar social

e o esgotamento das energias utópicas. Novos Estudos CEBRAP,São Paulo, n. 18, p. 103-114, 1987a.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la acción comunicativa. Madrid: Taurus, 1987b.

INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS. Capitalismo do pós-guerra está no fim, diz Streeck. 2015.

O PREÇO da traição: ex-noivo pagará indenização por casamento cancelado. 2015. Disponível em:

o+pagara+indenizacao+por+casamento+cancelado>. Acesso em: 21 jan. 2015.

OLIVEIRA, Camilla F. B.; BRITO, Leila M. T. Judicialização da vida na contemporaneidade. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 33, p. 78-89, 2013.

WESTPHAL, Vera H. A individualização em Ulrich Beck: análise da sociedade

contemporânea. Emancipação, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 419-433, 2010.

XIMENES, Julia Maurmann (Org.). Democracia e judicialização da política à luz dos

direitos fundamentais. Brasília: IDP, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2016v21n1p338

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International