Gênero, conjugalidades e reprodução medicamente assistida: aspectos regulatórios e práticas em diferentes cenários

Luciane da Costa Moás, Eliane Vargas

Resumo


O artigo focaliza a construção das práticas reprodutivas no acesso à reprodução assistida na qual a sexualidade conjugal, a dinâmica familiar e as instâncias regulatórias se encontram imbricadas. Considerando a dimensão cultural e simbólica intrínseca à produção dos corpos, os processos identitários na cena contemporânea colocam desafios à concretização do desejo de filhos no âmbito das conjugalidades hétero ou homossexual. Abordam-se as regulamentações e instâncias decisórias relativas ao uso de tecnologias reprodutivas, bem como os elementos presentes na dinâmica conjugal que envolvem o desejo de uma reprodução “natural” via tecnologias médicas. Observa-se operarem parâmetros médicos e jurídicos prescritivos que não correspondem à experiência dos casais e indivíduos que recorrem às tecnologias de reprodução medicamente assistida.

Palavras-chave


Corpo reprodutivo; Gênero; Sexualidade conjugal; Tecnologia Reprodutiva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2015v20n1p108

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons