Close na web: incorporando femininos desejáveis

Weslei Lopes Silva, Juliana Gonzaga Jayme

Resumo


Este artigo visa problematizar como um grupo de mulheres que se dedica ao comércio de strip-tease on-line se constitui enquanto stripper a partir de seu corpo para a atuação nesse mercado. Para tanto, as encenações que elas constroem em fotos e vídeos, bem como ante a webcam a partir do uso criativo e tecnológico do corpo, engendram femininos performáticos que exigem provisoriamente a destituição de si mesmas e a constituição de uma outra mulher (ou mesmo, outras mulheres) para os shows. Partindo das noções de incorporação e de performance de gênero, buscamos a reflexão sobre como elas ressignificam o corpo, incorporam discursos, gestos e atos, como estilizam o corpo em acordo com a mulher a ser performatizada para atrair e agradar aos clientes e, assim, alcançar maiores ganhos financeiros.


Palavras-chave


corpo; pessoa; gênero; strippers virtuais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2015v20n1p194

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons