Relações sociais de sexo e divisão sexual do trabalho nos correios: participação feminina, hierarquia profissional e políticas de gestão

Tadeu Gomes Teixeira

Resumo


Analisa-se neste artigo como as relações sociais de sexo e as imagens de gênero têm influenciado a inserção e a participação de mulheres na área operacional da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Busca-se responder as seguintes questões: Como as relações sociais de sexo e as imagens de gênero influenciam a inserção e participação de mulheres na estatal? Qual a imagem do trabalho feminino na empresa e como isso interfere na ascensão profissional? Como as demandas sindicais e as políticas de gestão do trabalho se posicionam em relação às questões de gênero? Verifica-se que a força de trabalho na ECT é majoritariamente masculina, com relações de gênero que associam, tanto entre os funcionários, formuladores das políticas de gestão do trabalho e sindicalistas, as atividades de trabalho aos homens, reforçando relações de sexo desiguais na estatal.


Palavras-chave


Correios; relações de gênero; gestão do trabalho; desigualdade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMO, Laís. Inserção das mulheres no mercado de trabalho na América Latina: uma força de trabalho secundária? In: HIRATA, Helena; SEGNINI, Liliana. (Org.). Organização, trabalho e gênero. São Paulo: Editora SENAC, 2007. p. 21-42.

ARAÚJO, Angela Maria Carneiro. Os sentidos do trabalho da mulher em tempos de reestruturação produtiva. In: INTERNATIONAL CONGRESS ON WOMEN’S HEALTH ISSUES, 15., CONGRESSO ON OBSTETRIC AND NEONATAL NURSING, 4., 2004, Ribeirão Preto. Anais… Ribeirão Preto: USP, 2004. p.1-29.

BRUSCHINI, Cristina; LOMBARDI, Maria Rosa. Trabalho, educação e rendimentos das mulheres no Brasil em anos recentes. In: HIRATA, Helena; SEGNINI, Liliana (Org.). Organização, Trabalho e Gênero. São Paulo: SENAC, 2007, p. 42-88.

CARTEIRA é novidade no correio da região, Folha de São Paulo, São Paulo, 15 jul. 1992. Caderno Folha ABCD, Cidades, p. 6.

CORREIOS. Teste físico dos correios começam hoje. Blog dos Correios, 12 set. 2011.

DEVREUX, Anne-Marie. A teoria das relações sociais de sexo: um quadro de análise sobre a dominação masculina. Sociedade e Estado, Brasília, v. 20, n. 3, p. 561- 584, 2005.

HIRATA, Helena. Mundialização, divisão sexual do trabalho e movimentos feministas transnacionais. Cadernos de Crítica Feminista, Recife, ano III, n. 2, dez. 2009.

HIRATA, Helena; KERGOAT, Danièle. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 132, p. 595-609, 2007.

KERGOAT, Danièle. Dinâmica e consubstancialidade das relações sociais. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 86, p. 93-103, mar. 2010.

KERGOAT, Danièle. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: HIRATA, Helena et al. (Org.). Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Ed. UNESP,2009. p. 67-75.

RIAL, Carmen; LAGO, Mara C. S.; GROSSI, Miriam Pillar. Relações sociais de sexo e relações de gênero: entrevista com Michèle Ferrand. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 13, n. 3, p. 677-690, 2005.

SALÁRIO atrai mulher a concurso de carteiros. Folha de São Paulo, São Paulo, 27 jan. 1992. Caderno Folha ABCD, Cidades, p. 8

TEIXEIRA, Tadeu Gomes. O sistema postal brasileiro em transformação: regulação do mercado e reestruturação do modelo organizacional (1994–2011). Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 48, n. 6, p. 1355-1380, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2015v20n2p284

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International