A Regulação Estatal dos Investimentos em Pesquisa no Ensino Superior Brasileiro

Daniel Guerrini

Resumo


Microdados do censo da educação superior de 2010, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), são usados para investigar como o Estado brasileiro e os grupos acadêmicos regulam os investimentos em pesquisa no país. Cruzaram-se dados de investimentos em pesquisa das instituições de ensino superior (IES) com as categorias em que tais instituições são divididas, além de se analisarem os critérios utilizados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (CAPES) para dar acesso às IES ao seu banco de dados. As categorias importam na medida em que indicam se as instituições são públicas ou privadas, e também qual o grau de autonomia que o Estado confere às mesmas, em função de serem faculdades, centros universitários, ou universidades. O sentido dessas divisões será mostrado com a análise das leis que regulam o ensino superior (ES) no Brasil. Conclui-se que as restrições à autonomia institucional impostas pelo Estado a mais de 80% das IES no país não impedem que as mesmas invistam em pesquisa. Esses investimentos, entretanto, são realizados sem parâmetros institucionais claros e são incentivados pelas agências acadêmicas de coordenação do ES no Brasil, que endossam um modelo de universidade de pesquisa para todo o sistema.


Palavras-chave


Ensino superior; Pesquisa científica; Instituições de ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


BALBACHEVSKY, Elizabeth; HOLZHACKER, Denilde. Oliveira. A profissão acadêmica no Brasil: evolução nos últimos 10 anos. São Paulo: NUPPS, 2005. (Série Documentos de Trabalho, n. 2). Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2013.

BRASIL. Decreto nº 5.773, de 9 de Maio de 2006. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2012.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: . Acesso em: 30 out. 2012.

CALDERON, Adolfo Ignacio; LOURENCO, Henrique da Silva. Ensino superior privado: expansão das cooperativas de mão de obra docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.41, n. 143, ago. 2011.

CASTRO, Maria Helena de Magalhães. Brazil higher education policies and implementation. Campinas: Unicamp, 2012. CUNHA, Luiz Antônio. Desenvolvimento desigual e combinado no ensino superior: estado e mercado. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 88, out. 2004. DURHAM, Eunice R. O ensino superior no Brasil: público e privado. São Paulo: NUPES, 2003. n. 3.

GRAMANI, Maria Cristina N. A influência da qualidade na atratividade de instituições de ensino superior com capital aberto. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, set. 2008. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP. Número de cursos, matrículas, concluintes, vagas oferecidas, candidatos inscritos e ingressos - 1991 a 2009. Brasília: Ministério da Educação, 2010.

SCHWARTZMAN, Simon. Equity, quality and relevance in higher education in Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v. 76, n. 1, mar. 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2013v18n2p65

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International