A Interdependência das Esferas da Reprodução e Produção na Produção de Indicadores: Reflexões a Partir da Experiência das Mulheres Rurais no Sertão do Apodi

Maria da Conceição Dantas Moura, Renata Faleiros Camargo Moreno

Resumo


O artigo tem como objetivo refletir sobre a interdependência das esferas produtiva e reprodutiva, a partir de elaborações feministas que buscam conferir visibilidade ao trabalho doméstico e de cuidados nas estatísticas e indicadores sociais. Situando esta discussão na realidade brasileira, notadamente na experiência das mulheres rurais, o artigo apresenta uma análise inicial de dados referentes à realidade de 160 mulheres do Sertão do Apodi, colhidos em diagnóstico realizado entre março e maio de 2011. A análise se referencia nos conceitos da economia feminista e recupera iniciativas governamentais, da sociedade civil e do meio acadêmico no que se refere ao levantamento de dados sobre trabalho das mulheres na esfera produtiva e reprodutiva. 


Palavras-chave


Economia feminista; Mulheres rurais; Trabalho doméstico; Cuidados.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria de Fátima Paz. Gênero e crédito no oeste Potiguar: uma experiência de inclusão e articulação. Brasília: NEAD/ MDA e Secretaria de Agricultura Familiar, 2007

BRUSCHINI, Cristina. Trabalho doméstico: inatividade econômica ou trabalho não remunerado? Revista Brasileira de Estudos Populacionais, São Paulo, v. 23, n. 2, jul./dez. 2006.

BUTTO, Andrea. Estatísticas rurais e a economia feminista: um olhar sobre o trabalho das mulheres. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2009.

BUTTO, Andrea; DANTAS, Isolda; HORA, Karla (Org.). As mulheres nas estatísticas agropecuárias: experiências em países do Sul. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2012.

CARRASCO, Cristina (Org.). Estatísticas sob suspeita: proposta de novos indicadores com base na experiência das mulheres. São Paulo: SOF, 2012.

CARRASCO, Cristina (Org.). Mujeres y economía. Barcelona: Icaria, 1999. CARRASCO, Cristina. El tiempo y el trabajo desde la experiencia femenina. In: CARRASCO, Cristina. La economía invisible y las desigualdades de género. Barcelona: Organización Panamericana de Salud, 2008.

CARRASCO, Cristina. Sustentabilidade da vida humana: um assunto de mulheres? In: FARIA, Nalu; NOBRE, Miriam (Org.). A produção do viver: ensaios de economia feminista. São Paulo: SOF, 2003. p.11-49. CARRASCO, Cristina. La economía feminista: una apuesta por otra economía. Barcelona, 2006. Disponível em .

DEDECCA, Cláudio. Tempo, trabalho e gênero. In: COSTA, Ana A. et al. (Org.). Reconfiguração das relações de gênero no trabalho. São Paulo: CUT, 2004.

DEERE, Carmen Diana. Os direitos da mulher à terra e os movimentos sociais rurais na reforma agrária brasileira. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 1, p. 175-204, jan./abr. 2004.

RODRIGUEZ, Corina. Análisis económico para la equidad: los aportes de la economía feminista. Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas y Centro Interdisciplinario para el Estudio de Políticas Públicas. SaberEs, n. 2, p.3-22, 2010. Sección Autora Invitada

FERBER, Marianne; NELSON, Julie. Mas allá del hombre económico. Madrid: Ediciones Cátedra, 2004.

FOLBRE, Nancy. Medir los cuidados: género, empoderamiento y la economía de los cuidados. In: BORDERÍAS, Cristina; CARRASCO, Cristina, TORNS, Teresa (Org.). El trabajo de cuidados: história, teoría y políticas. Madrid: Catarata, 2011. Cap. 8, p. 278- 304.

HIRATA, Helena; GUIMARÃES, Nadya (Org.). Cuidado e cuidadoras: as várias faces do trabalho do Care. São Paulo: Atlas, 2012.

KERGOAT, Daniele. Divisão sexual do trabalho. In: HIRATA, Helena et al. Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Ed. UNESP, 2009.

NOBRE, Miriam. Censo Agropecuário 2006 – Brasil: uma análise de gênero. In: BUTTO, Andrea; DANTAS, Isolda; HORA, Karla (Orgs). As mulheres nas estatísticas agropecuárias: experiências em países do Sul. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2012.

NOBRE, Miriam. Introdução à economia feminista. In: FARIA, Nalu; NOBRE, Miriam (Org.). Economia feminista. São Paulo: SOF, 2002. Coleção Cadernos Sempreviva PÉREZ, Amaia Orozco. Perspectivas feministas en torno a la economía: el caso de los cuidados. Madrid: Consejo Económico y Social, 2006.

PICCHIO, Antonella. Un enfoque macroecómico ‘ampliado’ de las condiciones de vida. In: CARRASCO, Cristina (Org.). Tiempos, trabajos y gênero. Barcelona: Publicacions Universitat de Barcelona, 2001. p. 4-28. RODRIGUEZ, Corina. La cuestión del cuidado: ¿El eslabón perdido del análisis económico? Revista CEPAL, Santiago de Chile, n. 106, p. 23-36, abr. 2012.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. Tradução de Laura Teixeira Mota. 6. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SEN, Amartya. Gender and cooperative conflicts. In: TINKER, Irene (Org.). Persistent inequalities New York: Oxford University Press, 1990. TEIXEIRA, Marilane. Sistema de indicadores de gênero: instrumento para conhecer e reconhecer a experiência das mulheres. In: CARRASCO, Cristina. Estatísticas sob suspeita: proposta de novos indicadores com base na experiência das mulheres. São Paulo: SOF, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2013v18n2p28

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International