O Censo de 2010 e as Primeiras Leituras Sobre a Mobilidade Espacial da População na Região Metropolitana de Campinas

Henrique Frey, Ednelson Mariano Dota

Resumo


Neste artigo analisaremos as questões referentes à mobilidade espacial da população na Região Metropolitana de Campinas (RMC), enfatizando a relação entre localização da
moradia e do emprego. Considerando a estreita relação entre a migração e a mobilidade pendular, enfatizamos como a migração intrametropolitana e o seu principal determinante,
a produção do espaço urbano, ajudam-nos a entender o processo de localização espacial da população. O aumento da mobilidade ao longo das últimas décadas foi analisado em perspectiva comparada a partir dos quesitos sobre deslocamento pendular nos Censos Demográficos de 2000 e 2010. Deve-se ressaltar, ainda, que a manutenção da importância de Campinas para os deslocamentos diários e a alteração do peso destes fluxos para determinados municípios, podem estar associados a uma reorganização interna dos investimentos, da população e dos empregos.


Palavras-chave


Região metropolitana de Campinas; Mobilidade pendular; Migração intrametropolitana; Censo demográfico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2013v18n1p226

Direitos autorais

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

ISSN: 1414-0543

EISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br


Creative Commons License

 

Todos os artigos científicos publicados em mediacoes@uel.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons