Dependência e estratégias de cuidado no Brasil

Cíntia Engel

Resumo


O envelhecimento populacional traz a tona preocupações em relação à saúde pública, principalmente no que se refere ao cuidado de pessoas com doenças crônicas e com dificuldades em relação à própria autonomia. O objetivo deste artigo é discutir estratégias de cuidado doméstico e institucional. Este trabalho foi elaborado a partir das informações e dados produzidos pela pesquisa "Envelhecimento de mulheres: práticas institucionais de violência e abandono - EVA", realizada no DF e em Goiânia em mais de 25 Instituições de Longa Permanência para idosos/as. Para a reflexão deste artigo, adiciono também considerações de minha pesquisa de mestrado sobre o apoio prestado no ambiente familiar às pessoas acometidas pelo mal de Alzheimer.


Palavras-chave


Envelhecimento; Cuidado; Família; Instituições de Longa Permanência para idosos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRIAGADA, Irma. Estructuras familiares, trabajo y bienestar en América Latina. Em: ARRIAGADA, I. y V. ARANDA (Comps.). Cambio de las familias en el marco de las transformaciones globales: necesidad de políticas públicas eficaces. Serie Seminarios y Conferencias Nº 42 (LC/L.2230-P). Santiago de Chile: CEPAL, Publicación de las Naciones Unidas, 2004.

BRASIL. Estatuto do idoso. Brasília: Editora MS, 2008.

CALDAS, Célia Pereira. Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, vol. 19, n. 3, p. 773-781, maijun, 2003.

CAMARANO, Ana Amélia. Instituições de longa permanência e outras modalidades de arranjos domiciliares para idoso. In: NERI, A. Idosos no Brasil : vive?ncias, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Edições SESCSP; Editora Fundac?a?o Perseu Abramo, 2007.

CAMARANO, Ana Amélia. Como vive o idoso brasileiro? In: CAMARANO, Ana Amélia (Org). Muito além dos 60: os novos idosos brasileiros. Rio de Janeiro: IPEA, 1999, p. 19-71.

CAMARANO, Ana Amélia. Mulher idosa: suporte familiar ou agente de mudanc?a? Estudos Avanc?ados, São Paulo, vol.17, n.49, p.35-63, 2003

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice : socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: FAPESP, 1999.

DEBERT, Guita Grin. Antropologia e velhice. Campinas, SP: IFCH/UNICAMP, 1994.

DEBERT, Guita Grin. O significado da velhice na sociedade brasileira. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, Número Especial, Vol.1, p.146-150, 2000.

FONTOURA, Natália. et. al. Pesquisas de uso do tempo no Brasil: contribuições para a formulação de políticas de conciliação entre trabalho, família e vida pessoal. Revista Econômica, Rio de Janeiro, v.12, n.1, p. 11-46, junho, 2010.

GUTIERREZ, Denise. Machado. Duran & MINAYO, Maria. Cecília. Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 15 (supl. 1), p.1497-1508, 2010. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, 2008 – Suplemento de Saúde. Rio de Janeiro, 2010.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA- IPEA. PNAP 2009 – Primeiras Análises: tendências demográficas. Comunicados do Ipea, No.64, 13 de outubro de 2010.

SILVEIRA, Terezinha Melo. Da; CALDAS, Célia Pereira & CARNEIRO, Terezinha Féres.Cuidando de idosos altamente dependentes na comunidade: um estudo sobre cuidadores familiares principais. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 22(8), p. 1629-1638, ago, 2006.

SUNKEL, Guillermo. El papel de la familia en la protección social en la América Latina. Serie Políticas Sociales, nº 120. Chile: CEPAL, abril de 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2012v17n2p166

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International