Eles não estão mais Pra Nad": sexualidade e processos de envelhecimento na dinâmica do Programa Saúde da Família

Márcia Andrea Rodrigues Andrade, Mónica Franch

Resumo


Este trabalho propõe uma reflexão sobre a sexualidade no processo de envelhecimento contemporâneo, a partir de um campo de observação específico: uma unidade de saúde da família no município de Bayeux (Paraíba). O foco na sexualidade responde a uma maior atenção pública sobre esse fenômeno, que hoje é alvo do interesse de setores específicos do mercado, mas também objeto de preocupação pública face ao crescimento do HIV/Aids nesse segmento. Observando o cotidiano do posto, percebemos que o Programa Saúde da Família não incorpora a sexualidade idosa que, no entanto, irrompe cotidianamente em forma de diversas e inesperadas demandas. Apesar de o programa ser um importante vetor de divulgação da ideologia da “terceira idade”, nesse aspecto específico os profissionais acionam imagens e representações que remetem às ideias de decadência e passividade.


Palavras-chave


Envelhecimento; Programa Saúde da Família; Sexualidade; Gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Márcia Andrea Rodrigues. O (não) lugar da sexualidade na velhice: análise das interações entre profissionais e usuários no Programa Saúde da Família. 2011. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

BOZON, Michel. A nova normatividade das condutas sexuais ou a dificuldade de dar coerência às experiências íntimas. In: HEILBORN, Maria Luiza. (Org.). Família e sexualidade. Rio de Janeiro: FGV, 2004b. p. 119-150.

BOURDIEU, Pierre. A “juventude” é só uma palavra. In: ______. Questões de sociologia. São Paulo: Marco Zero, 1986.

BRIGEIRO, Mauro. Envelhecimento bem-sucedido e Sexualidade: relativizando uma problemática. In: BARBOSA, Regina Maria; AQUINO, Estela Maria Leão de; HEILBORN, Maria Luiza; BERQUÓ, Elza. Interfaces: gênero, sexualidade e saúde reprodutiva. Campinas: Unicamp, 2002.

CITELI, Maria Teresa. A pesquisa sobre sexualidade e direitos sexuais no Brasil (1990-2002): revisão crítica. Rio de Janeiro: CEPESC, 2005.

DEBERT, Guita Grin. A construção e a reconstrução da velhice: família, classe social e etnicidade. In: NERI, Anita Liberalesso; DEBERT, Guita Grin. Velhice e sociedade. Campinas: Papirus, 1999. p.41-68.

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: USP, 2004.

FRANCH, Mónica; LONGHI, Marcia. Refletindo sobre a saúde dos jovens: desafios e contradições da atenção básica. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 28., 2004, Caxambu. Anais. Caxambú, 2004. CD-ROM.

IBGE. Cidades@ - Bayeux – PB. 2007. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2011.

MOTTA, Alda Brito. Sociabilidades possíveis: idosos e tempo geracional. In: PEIXOTO, Clarice Ehlers (Org.). Família e envelhecimento. Rio de Janeiro: FGV, 2004. p. 109-44.

PEIXOTO, Clarice. Histórias de mulheres, de envelhecimento e sexualidade. In: DEBERT, Guita Grin; GOLDSTEIN, Donna M. (Org.). Políticas do corpo e o curso da vida. São Paulo: Sumaré, 2000.

SCOTT, Parry. Gerações, comunidade e o Programa Saúde da Família: reprodução, disciplina e a simplificação administrativa. In: BARROS, Miriam Lins de (Org.). Famílias e gerações. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

SIBILA, Paula. A moral da pele lisa e a censura midiática da velhice: o corpo velho como uma imagem com falhas. In: GOLDENBERG, Mirian. Corpo, envelhecimento e felicidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

UCHÔA, Elizabeth. Contribuições da antropologia para uma abordagem das questões relativas à saúde do idoso. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3 p. 849–853, maio/jun. 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2012v17n2p41

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International