Segurança e “guerra ao terror”:um balanço da literatura contemporânea sobre a América Latina após 11 de setembro

Marcelo da Silveira Campos, Andrei Koerner

Resumo


O objetivo deste artigo é revisar e sistematizar parte da bibliografia acadêmica anglo-saxã sobre segurança pública e como esta literatura pensa o papel dos EUA na América Latina, no cenário pós 11 de setembro. A conversão da "guerra ao terror" em eixo programático e estruturante das relações bilaterais estabelecidas pelos EUA com os outros países trouxeram modificações no plano da formulação e implementação das políticas de segurança em diversos países do globo. Essas modificações influenciaram a formulação e o modelo das políticas públicas de segurança – sejam as políticas internas adotadas para a sociedade norte-americana, sejam as políticas de segurança dos países que se relacionam (e dos que não se relacionam) com o governo estadunidense. Esta revisão, portanto, analisa os textos produzidos entre os anos de 2001-2010 sobre a temática da assim chamada "guerra ao terror" e América Latina.

 


Palavras-chave


Políticas de segurança; “Guerra ao terror”; América Latina; EUA.

Texto completo:

PDF

Referências


AVILÉS, William. Paramilitarism and Colombia’s low-intensity democracy. Journal of Latin American Studies, Cambridge, v. 38, n. 2, p. 379-408, 2006.

CALDEIRA, Teresa; HOLSTON, James. Democracy and violence in Brazil. Comparative Studies in Society and History, Cambridge, v. 41, n. 4, p. 691-729, 1999.

GODOY, Angelina. Converging on the poles: contemporary punishment and democracy in hemispheric perspective. Law & Social Inquiry, Chicago, v. 30, n. 3, p. 515-548, 2005.

HERZ, Mônica. Política de segurança dos EUA para a América Latina após o final da Guerra Fria. Estudos Avançados, São Paulo, v. 16, n. 46, p. 85-104, 2002.

HUME, Mo. Mano Dura: El Salvador responds to gangs. Development in Practice, San Salvador, v. 17, n. 6, p. 739-751, Nov. 2007.

KARSTEDT, Susanne; LAFREE, Gary. Democracy, crime, and justice. Annals of the American Academy of Political and Social Science, Philadelphia, v. 605, p. 6-23, May, 2006.

LANGER, Maximo. Revolution in Latin American criminal procedure: diffusion of legal ideas from the periphery. American Journal of Comparative Law, Baltimore, v. 55, n. 4, p. 617-676, 2007.

MANN, Michael. The Crisis of the Latin American Nation-State. In: CONFERENCE THE POLITICAL CRISIS AND INTERNAL CONFLICT IN COLOMBIA, 2002. Bogotá. Paper presented...Bogotá: University of the Andes, 2002. p. 10-13.

MATTEI, Ugo. A theory of imperial law: a study on us. Hegemony and the Latin resistance. Indiana Journal of Global Legal Studies, Bloomington, v. 10, n. 1, p. 383-448, 2003.

UNGAR, Mark. Prisons and politics in contemporary Latin America. Human Rights Quarterly, Cincinatti, v. 25, n. 4, nov. 2003.

UNGAR, Mark. Latin America’s police: advancing citizen security? Princeton University Workshop: Violence and citizen in post-authoritarian Latin America, Mar. 7, 2008.

WHITAKER, Beth. Exporting the patriot act? Democracy and the ‘war on terror’ in the third world. Third World Quarterly, London, v. 28, n. 5, p. 1017-1032, 2007.

ZULUAGA, Jamie; STOLLER, Richard. U. S. security policies and United StatesColombia relations. Latin American Perspectives, Newbury Park, v. 34, n. 1, p. 112-119, Jan. 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2011v16n2p51

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International