As interações sistêmicas entre direito, economia e organizações: considerações sobre o rompimento com o cartesianismo e o direito como custo para Atividade empresarial

Luciano Vaz Ferreira

Resumo


No estudo da epistemologia, duas vertentes opostas encontram-se em constante combate. De um lado, a proposta cartesiana, que vê o mundo como um objeto preciso e previsível, capaz de ser dissecado em partes totalmente independentes, sem comunicação entre elas, de modo a facilitar sua compreensão. Como contraponto, tem-se a abordagem sistêmica, a qual prega que a interação entre as diversas partes é fundamental para o funcionamento do objeto como um todo. Dessa maneira, pode-se concluir, que enquanto o fundamento para a primeira está na separação das diversas disciplinas, a segunda prima pela interdisciplinaridade. A realidade é rica em demonstrar variados exemplos de influências mútuas entre Direito, Economia e Administração. Nesse cenário, a abordagem da “Análise Econômica do Direito e das Organizações” (Law, Economics and Organizations) revela-se ser um interessante mecanismo para a solução das controvérsias jurídicas, por meio da superação do paradigma cartesiano.


Palavras-chave


Cartesianismo; teoria dos sistemas; direto; economia; administração

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2008v12n0p43



Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.