O desafio da redução da desigualdade de gênero nas grandes empresas: entre as quotas vinculantes e a autorregulação

Luciana Tasse Ferreira, Sergio Marcos Carvalho de Ávila Negri

Resumo


Diante da divisão sexual do trabalho reproduzida de maneira muito marcante no espaço produtivo, o presente trabalho tem como objetivo investigar as principais propostas para a promoção de igualdade de oportunidades entre homens e mulheres nas organizações empresariais. Para tanto, são analisadas algumas políticas já implantadas com vistas à maior representação de gênero nas posições decisórias das companhias: uma proposta voluntária, estabelecida e fiscalizada pelos próprios agentes econômicos, adotada na Inglaterra; e uma segunda, de caráter obrigatório, imposta pela regulação estatal, sob a forma de quotas vinculantes, adotada na Noruega. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental, de caráter qualitativo, a partir do método da análise de conteúdo. Como resultado, destaca-se a importância de se considerarem as alternativas voluntárias e vinculantes na esfera do político, de modo a não naturalizar o discurso da solução de mercado da autorregulação como a única possível para a questão da desigualdade de gênero nas empresas.


Palavras-chave


Teto de vidro; administração societária; Pessoa; Mercado

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2019v23n1p164

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.