Paradigma contemporâneo e os negócios biojurídicos: seleção embrionária

Juliana Carvalho Pavão, Rita de Cássia Resquetti Tarifa Espolador

Resumo


Os negócios jurídicos passaram por diversas transformações ao longo dos tempos, nesse sentido, destaca-se que, antigamente, os acordos apresentavam apenas um aspecto patrimonial. Todavia, as tecnologias evoluíram e permitiram que as relações sociais se expandissem, envolvendo também aspectos existenciais. Nesse contexto, surgem negócios cujo objeto é o ser humano, os denominados negócios biojurídicos, conhecidos por alguns doutrinadores, mas despercebidos pela maioria da doutrina nacional. Diante disso, este trabalho busca analisar a possibilidade dessa nova categoria “negócios biojurídicos” para os novos atos privados, observando se haveria algum benefício nessa categorização. Ademais, observa-se uma nova técnica médica, que é a seleção embrionária, a fim de ilustrar essa problemática. Assim, o trabalho utiliza o método dedutivo, iniciando o debate por meio dos negócios jurídicos, e tem como base diversos autores nacionais e internacionais relevantes sobre o tema.


Palavras-chave


Autonomia. Negócio Biojurídico. Seleção Embrionária. Tecnologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2018v22n2p244

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.