Democracia e conflitos de ódio: busca pela convivência pacífica através da mediação comunitária

Thiago Anastácio Carcará, Clarissa Fonseca Maia, Clarissa Fonseca Maia

Resumo


O trabalho pretende analisar a democracia e os conflitos de ódio, verificando a possibilidade de convivência através da mediação comunitária. Utilizando o método de pesquisa bibliográfica, analisa-se a democracia como princípio e como estrutura política, na vertente da liberdade de expressão, através do pensamento de Berlin (1981), galgando a liberdade positiva como necessária no exercício da cidadania, bem como no liberalismo e no Estado Social, não apenas tendo o Estado a função de garantidor dos direitos fundamentais, mas como incentivador da cidadania ativa, disseminando o poder da autotutela de forma ampla e uniforme. Verifica-se ainda o discurso do ódio como manifestação do pensamento que contamina a democracia e deve ser trabalhado de forma que se possa encontrar, no espaço público de ideias, ambiente de tolerância e de conhecimento da verdade. Alçando a Mediação, como instrumento a resolução de conflitos, verifica-se a Mediação Comunitária como meio ideal a empoderar o cidadão e possibilitar a conscientização moral e jurídica de forma comunitária, alcançando os indivíduos membros de uma região ou comunidade que necessidade elidir seus conflitos e possam autogovernar-se no que concerne a solução de seus conflitos de ódio, sendo o Estado um garantidor e incentivador da proatividade e cidadania ativa.

Palavras-chave


Democracia; Discurso do ódio; Mediação Comunitária; Tolerância.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2017v21n3p225

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.