“Holy Mountains”: o sussurro histórico na busca por reconhecimento

Mayron Morais Damasceno, Cláudia Luiz Lourenço

Resumo


O presente artigo tem como temática a abordagem dos Direitos Humanos, de modo a demonstrar como a visibilidade histórica dos atos deflagrados pelas gerações passadas serve como intermédio na construção de uma sociedade mais humana e igualitária. Seu principal intuito não é trazer à baila o desespero, a amargura ou desejo de vingança, é, contudo, tratar sobre os perigos em que o ser humano pode incorrer ante sua busca desmesurada por poder. Nesse intuito é que se tratará sobre o genocídio Armênio que foi um dos primeiros atos que quase exterminou grande parcela de um povo, genocídio executado pelos atos de imposição do antigo exército Turco-Otomano; essa importância advém do fato de que esse acontecimento é pouco ou quase nada conhecido na sociedade, logo, sua existência e reconhecimento não servem para manchar a histórica da atual Turquia, mas para expor os erros passados e modificar o presente.


Palavras-chave


Império Turco-Otomano; Genocídio; Armênia; Reconhecimento; Direitos humanos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2016v20n3p72

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.