Cooperação internacional e organizações não governamentais: releitura do papel institucional no combate às doenças negligenciadas

Marcos Vinício Chein Feres, Pedro Henrique Oliveira Cuco, Lorena Abbas da Silva

Resumo


Este artigo pretende analisar a função jurídica da patente e a importância das cooperações internacionais em saúde, especialmente aquelas realizadas entre os países do hemisfério Sul, bem como das organizações não governamentais para a prevenção e o combate às doenças negligenciadas. A partir do conceito de direito como identidade, e da estratégia metodológica de análise qualitativa de conteúdo, foram coletados e analisados alguns casos de cooperação entre Estados e instituições públicas e privadas com o objetivo de desenvolverem novos medicamentos para o combate às doenças negligenciadas e garantirem equidade de acesso a esses fármacos.

Palavras-chave


Patente; Doenças Negligenciadas; Direito como Identidade; Cooperação Sul-Sul; DNDi

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2015v19n2p181



Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.