Neoliberalismo, integração econômica e as organizações de trabalhadores

Lourival José de Oliveira

Resumo


O presente artigo está direcionado para o estudo dos conflitos que se estabeleceram no movimento sindical em virtude das novas relações de trabalho que estão nascendo nos dias atuais, ao ponto de poder ser afirmado que as organizações de trabalhadores, em várias regiões do mundo e no Brasil, produto talvez da própria estrutura interna de organização, ainda estão presas a situações locais, quando em contrapartida já existe um mercado internacional de trabalho. A formação dos chamados blocos econômicos, as tendências neoliberais, a desregulamentação ou flexibilização do direito do trabalho e a transformação do Estado social principalmente, levaram à criação de um novo trabalhador, com novas necessidades, impondo a modernização das organizações de trabalhadores, que muitas vezes não é conseguida em virtude da forte intervenção do Estado.


Palavras-chave


Organizações de trabalhadores; Integração de trabalhadores; Sindicato; União Européia e o Mercosul.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.1999v2n0p143



Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.