Comércio agrícola: o Brasil e a OMC

Danielle Annoni

Resumo


Os setores agrícola e têxtil, têm sido os maiores alvos do protecionismo dos países desenvolvidos, que possuem em comum o fato de que a quantidade de mão-de-obra utilizada é bastante grande o que significa margem de variação do custo final do produto. Portanto, não é difícil entender porque os países quão mais subdesenvolvidos forem mais competitivos e ameaçadores são na disputa pelo controle do mercado mundial nestes setores. Assim decorre a importância da OMC, na busca pela efetividade da regulamentação do comércio internacional de bens agrícolas é uma atividade que interessa aos países em desenvolvimento como um todo, o que é particularmente aplicável para o Brasil, onde os produtos agrícolas respondem por quase um terço das exportações.


Palavras-chave


Comércio agrícola; Brasil; OMC; Exportações; Protecionismo; Acordo sobre medidas sanitárias e fitossanitárias.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2178-8189.2004v7n0p29



Scientia Iuris

ISSN (eletrônico) 2178-8189

 

E-mail: revistamdireito@uel.br



 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.