Colaboração entre Programas de Pós-Graduação Brasileiros em Ciência da Informação: modelagem baseada em grafos

Alisson de Oliveira Silva, André Luiz Dias de França, Carlo Gabriel Porto Bellini, Guilherme Ataíde Dias, Patrícia Maria da Silva, Wagner Junqueira de Araújo

Resumo


Introdução: Apresenta resultados preliminares de uma pesquisa que investiga as relações de colaboração entre programas de pós-graduação brasileiros na área da Ciência da Informação a partir da perspectiva das redes sociais. A utilização de software de informetria e teoria dos grafos torna possível visualizar e calcular métricas associadas aos atores que integram redes sociais.

 

Objetivo: Identificar as relações de colaboração acadêmica entre programas de pós-graduação stricto sensu brasileiros na área da Ciência da Informação por meio da modelagem de grafos e análise da rede social associada.

Metodologia: Pesquisa de caráter quantitativo. Os dados foram obtidos a partir dos currículos Lattes dos pesquisadores vinculados aos programas em foco entre os anos de 2007 e 2009, e a análise deu-se a partir da modelagem de um grafo.

Resultados: O grafo relacionado à rede de coautorias entre os programas de pós-graduação em Ciência da Informação considerados indica que, no período de 2007 a 2009, não foi construído um cenário em que houvesse coautorias entre todos os programas, nem relações de coautorias compatíveis com o volume de pesquisa desenvolvido pelos pesquisadores dos programas em foco. Constatou-se que não há colaboração efetiva entre todos os programas brasileiros na área da Ciência da Informação.

Conclusões: Pretende-se repetir esta pesquisa com os programas de pós-graduação em Ciência da Informação no período de avaliação de 2010 a 2012, de modo a incluir os programas situados no Rio de Janeiro e o recente programa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), bem como para atualizar as percepções a respeito da colaboração existente.


Palavras-chave


Grafos; Redes sociais; Colaboração acadêmica; Ciência da informação; Pós-Graduação stricto sensu

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2012v17n3p1

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional