Divulgaçao científica e relações de poder.

Graça Caldas

Resumo


O artigo faz uma reflexão sobre as relações de poder presentes no processo de divulgação científica, considerando as diferenças de cultura dos jornalistas e dos cientistas. Aborda as tensões e os conflitos existentes entre o discurso competente dos especialistas e o discurso leigo dos jornalistas no processo de construção do discurso jornalístico. Discute a função de ambos na formação da opinião pública e a responsabilidade social desses atores na construção da memória científica na mídia, considerando seu papel na construção da memória coletiva sobre as políticas públicas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I), sua trajetória histórica, produção científica e os riscos e os benefícios dessa produção para a sociedade. Defende a democratização do saber por meio de parceria entre jornalistas e cientistas para uma divulgação científica competente e cidadã, que possibilite a inclusão da sociedade no processo decisório sobre a utilização dos recursos de CT&I e na discussão nacional sobre temas polêmicos, com impacto social, transgênicos, células tronco, energia nuclear, entre outros.


Palavras-chave


Comunicação da ciência. Comunicação científica. Divulgação científica. Cientistas e jornalistas. Relações de poder. Responsabilidade social.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2010v15n1espp31



  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional