Modelo de maturidade em gestão da informação: uma visão diacrônica

Renato Plácido Mathias Machado, Anderson Luis Cambraia Itaborahy, Lillian Maria Araujo de Rezende Alvares

Resumo


Objetivo: Apresentar modelos de maturidade propostos em gestão da informação e identificar o que mais se alinha aos modelos consagrados de gestão da informação. Especificamente, identificar os principais modelos de maturidade em gestão da informação e a partir de critérios pré-selecionados, apresentar aquele que oferece mais robustez e alinhamento com os modelos de GI apresentados. Metodologia: Adotou-se a pesquisa exploratória qualitativa, baseada em revisão de literatura científica objetivando identificar Modelos de Gestão da Informação (MGI) e Modelos de Maturidade em Gestão da informação (MMGI), realizou-se  avaliação quantitativa dos MMGI baseada em atributos de robustez do modelo para aferir o potencial de alinhamento entre os MGI consagrados e os MMGI apresentados. Resultados: Como resultado, emergiu o modelo de maturidade em gestão da informação ECM3 como o mais robusto e fortemente alinhado aos modelos de gestão da informação apresentados. Conclusões: Confirmou que a representação da maturidade na gestão da informação como uma série de estágios lineares unidimensionais pode ser uma estratégia para uma aplicação prática de uso descritivo, prescritivo ou comparativo para a implantação da gestão da informação nas organizações.


Palavras-chave


Gestão da Informação; Modelo de Maturidade em Gestão da Informação; Enterprise Content Management Maturity Model (ECM3)

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON E., JESSEN S. Project maturity in organizations. International Journal of Project Management Accounting, [s.l], v. 21, p. 457-461. 2003.

ARMA INTERNATIONAL. Generally accepted recordkeeping principles: information governance maturity model. Disponível em https://www.arma.org/page/principles. Acesso em: 15 fev. 2020.

BARBOSA, R. R. Gestão da informação e do conhecimento: origens, polêmicas e perspectivas. Informação & Informação, Londrina, v. 13, n. 1esp, p. 1-25, dez. 2008. ISSN 1981-8920. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1843. Acesso em: 24 maio 2021. doi: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2008v13n1espp1.

BOON, J. A. Information management: an educational perspective. South African journal of library and information science, v. 58, n. 4, p. 319-326, 1990.

BUSH, V. As we may think. The Atlantic Monthly, Boston, v. 176, n. 1, p. 101-108, 1945.

CARVALHO, L. F.; ARAÚJO JÚNIOR, R. H. A. Gestão da informação: estudo comparativo entre quatro modelos. Biblios: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, Lima, v. 28, n. 1, p. 71-84, 2014.

CHEN, X.H.; SNYMAN, M.M.M.; SEWDASS, N. Interrelationship between document management, information management and knowledge management. South African Journal of Information Management, v. 7, n. 3, 2005.

CHOO, C. W. Information management for the intelligent organization: the art of scanning the environment. 2ed. Medford: ASIS/Information Today, 1998. 272p.

CMMI PRODUCT TEAM. CMMI for development, version 1.3 CMU/SEI-2010-TR-033, 2010. Pittsburgh, Estados Unidos: Software Engineering Institute: Carnegie Mellon University, 2010.

DAVENPORT, T.H. Ecologia da informação. Por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

de BRUIN, T., ROSEMANN, M., BARTMANN, D., F. RAJOLA, F., KALLINIKOS, J., AVISON, D., WINTER, R., EIN-DOR, P., BECKER, J., BODENDORF, F., WEINHARDT, C., (2005). Towards a business process management maturity model. In: AUSTRALASIAN CONFERENCE ON INFORMATION SYSTEMS, 16, 2005, Sidney. Proceedings [...]. Sidney: Australasian Chapter of the Association for Information Systems (AIS), 2005.

DETLOR, B. Information management. International Journal of Information Management, [s.l], v.30, n. 2, p. 103-108, 2009.

DIENER, R. A. V. Strategic, analytic and operational domains of information management. Bulletin of the American Society for Information Science, [s.l], v.19, n.1, p. 8-19, 1992.

E-ARK Project, D7.5. A maturity model for information governance: final version. Lisboa: E-ARK Project Consortium, 2017.

JUSSILA, J.; KÄRKKÄINEN, H.; LYYTIKKÄ, J. Towards maturity modeling approach for social media adoption in innovation. In: PROCEEDINGS THE 4TH ISPIM INNOVATION SYMPOSIUM, 4, 2011, Wellington, Nova Zelândia. Proceedings [...]. Manchester: International Society for Professional Innovation Management (ISPIM), 2011.

LAHRMANN, G.; MARX, F.; METTLER, T.; WINTER, R.; WORTMANN, F. Inductive design of maturity models: applying the rasch algorithm for design science research. Berlim, Alemanha: Springer, 2011. p. 176-191.

LASRADO, L.A.; VATRAPU, R.; ANDERSEN, K.N. Maturity models development in IS research: a literature review. In: INFORMATION SYSTEMS RESEARCH SEMINAR IN SCANDINAVIA (IRIS 2015), 38, 2015, Oulu, Finland. Proceedings [...]. Oulu, Finland: Scandinavian Chapter of the Association for Information Systems (AIS), 2015.

LEITE, F. C. L. Modelo genérico de gestão da informação científica para instituições de pesquisa na perspectiva da comunicação científica e do acesso aberto. 2011. 262 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

MARCHAND, D. A. Competing with information: a manager’s guide to creating business value with information content. Chichester: John Wiley & Sons, 2000.

McGEE, J.; PRUSAK, L. Gerenciamento estratégico da informação. Rio de Janeiro: Campus,1994. 244p.

NEWMAN, D., LOGAN, D. Gartner introduces the EIM maturity model. Stamford, Estados Unidos: Gartner, 2008. Disponível em:https://pdfs.semanticscholar.org/ca3b/13f65a37d7b0a44287899710112e2c5afc4e.pdf. Acesso em: 28 dez. 2019.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO ISO. (2004). ISO/IEC 15504-3:2004. Information technology - Process assessment - Part 3: Guidance on performing an assessment. Genebra, Suíça: ISO, 2004.

OTLET, P. Traité de documentacion: le livre surle livre: théorie et pratique. Bruxelas: Mundaneum, 1934. Disponível em: https://archive.org/details/OtletTraitDocumentationUgent. Acesso em: 5 mar. 2020.

PAULK, M. C., CURTIS, B., CHRISSIS, M. B., WEBER, C.V. Capability maturity model for software: version 1.1 CMU/SEI-93-TR-24, ADA263403. Pittsburgh, USA: Software Engineering Institute: Carnegie Mellon University, 1993.

PELZ-SHARPE, A.; DURGA, A.; SMIGIEL, D.; HARTMEN, E.; BYRNE, T.; GINGRAS, J. ECM maturity model: version 2.0. Silver Spring: Wipro: Real Story Group (CMS Watch): Hartman Communicatie, 2010. Disponível em: https://ecmmaturity.files.wordpress.com/2009/02/ecm3-v2_0.pdf. Acesso em: 27 dez. 2019.

PLATTFAUT, R.; NIEHAVES, B.; POPPELBUß, J.; BECKER, J. Development of BPM capabilities: is maturity the right path? In: EUROPEAN CONFERENCE ON INFORMATION SYSTEMS (ECIS), 19, 2011, Helsinki, Finlândia. Proceedings […]. Helsinki, Finlândia: Association for Information Systems (AIS), 2011.

PROENÇA, D., BORBINHA, J. Maturity models for data and information management a state of the art. Lisboa, Portugal: Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Investigação e Desenvolvimento em Lisboa (INESC-ID): Universidade de Lisboa, 2018.

PROENÇA, D., BORBINHA, J. Maturity models for information systems. In: CONFERENCE ON ENTERPRISE INFORMATION SYSTEMS (CENTERIS), 2016, Porto. Proceedings […]. Porto: Elsevier, 2016. p.1042-1049.

PROENÇA, D.; VIEIRA, R.; BORBINHA, J. A maturity model for information governance. In: TRIENNIAL CONFERENCE MAKING THE INFORMATION GOVERNANCE LANDSCAPE IN EUROPE (DLM FORUM), 7, 2014, Lisboa. Proceedings […]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, 2014. p.100-104.

RASCÃO, J. P. Da gestão estratégica à gestão estratégica da informação: como aumentar o tempo disponível para a tomada de decisão estratégica. Rio de Janeiro: E-papers, 2006.

REAL STORY GROUP, DAM FOUNDATION. The DAM maturity model. Disponível em: http://dammaturitymodel.org/. Acesso em: 15 jan. 2020.

RÖGLINGER M.; PÖPPELBUß J.; What makes a useful maturity model? A framework for general design principles for maturity models and its demonstration in business process management. In: European Conference on Information Systems, 19, 2011, Helsinki, Finlândia. Proceedings […]. Helsinki, Finlândia: Association for Information Systems (AIS), 2011.

ROWLEY, J. Towards a framework for information management. International Journal of Information Management, [s.l.], v. 18, n. 5, p.359-369, 1998.

STARCK, K.R., GREGORIO, J.V.R., SILVA, E. L., Os estilos e os modelos de gestão da informação: alternativas para a tomada de decisão. Biblios, Lima, n. 52, p. 59-73, 2013.

VAN DE VEN, A. H.; POOLE, M.S. Explaining development and change in organizations. The Academy of Management Review, v. 20, n. 3, p. 510-540, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n2p407

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional