Epistemologia em Ciência da Informação: cenário internacional a partir da Web of Science

Augiza Karla Boso Anselmo, Rosângela Schwarz Rodrigues, Cezar Karpinski

Resumo


Introdução: A publicação de artigos científicos é necessária para o avanço da ciência. Objetivo: O objetivo geral é analisar o cenário internacional da publicação científica sobre Epistemologia em periódicos da área de Ciência da Informação indexados pela Web of Science (WoS). Os objetivos específicos são a) identificar os títulos de periódicos com maior número de publicação sobre o tema, bem como sua tipificação editorial; b) relatar os tipos de acesso dos periódicos por país; c) apontar as palavras-chave mais utilizadas e d) Identificar os epistemólogos mais utilizados no referencial teórico. Metodologia: O estudo foi caracterizado como exploratório, descritivo e quantitativo. Como procedimentos técnicos, fez-se uma pesquisa bibliográfica na principal coleção da WoS, utilizando a estratégia de busca: (TI=(epistem*) AND SU=(library and Information Science)). O período estipulado foi de 2003 a 2018 e obteve-se um total de 113 artigos válidos. Resultados: Os resultados mostram que os periódicos com mais artigos publicados foram Knowledge Organization, com 14 artigos, seguido do Journal of Documentation, com nove artigos. Observa-se que os 113 artigos foram publicados em 41 títulos de periódicos e que pertencem a 26 editoras distintas. As palavras-chave mais utilizadas foram “epistemology” citada 23 vezes, seguido de “information science”, 10 vezes e “methodology”, 04 vezes. Quanto aos epistemólogos mais citados, o destaque foi para Wittgenstein, seguido de Kuhn, Feyerabend e Popper. Conclusões: Conclui-se que o cenário internacional da publicação científica sobre Epistemologia em periódicos da área de Ciência da Informação, indexados pela Web of Science (WoS) relatam a evolução filosófica e teórica da própria epistemologia aonde, ainda, a grande maioria (73,2%) são títulos por subscrição.


Palavras-chave


Produção textual científica. Periódicos científicos. Epistemologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ABADAL, Ernest. Acceso abierto a la ciencia. Editorial UOC, Barcelona, 2013.

APPEL, André Luiz; ALBAGLI Sarita. Acesso aberto em questão: novas agendas e desafios. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v.29, n.4, p. 187-208, out./dez. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/50113/29300. Acesso em: 08 jan. 2020.

ARAÚJO, Carlos Alberto. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun. 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/10036. Acesso em: 26 nov. 2019.

BJÖRK, B.C.; SOLOMON, D. Developing an effective market for Open Access Article Processing Charges. London, UK: Wellcome Trust, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/50113/29300. Acesso em: 08 jan. 2020.

CHALMERS, A. A. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense, 1993.

COLEMAN, A. Self-archiving and the Copyright Transfer Agreements of ISI-ranked library and information science journals. Journal of the American Society for Information Science and Technology. v. 58, n. 2, p. 286–296, 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1002/asi.20494. Acesso em: 05 ago. 2018.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: ARTMED, 2010.

FICO, C.; WASSERMAN, C.; MAGALHÃES, M. S. Expansão e avaliação da área de história: 2010-2016. Hist. Historiogr., v. 11, n. 28, set/dez 2018, p. 267-302. Disponível em: http://DOI: 10.15848/hh.v0i28.1393. Acesso em: 05 ago. 2019.

FRANCELIN, M. M. Epistemologia da ciência da informação: evolução da pesquisa e suas bases referenciais. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 23, n. 3, p. 89-103, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/93365>. Acesso em: 01 ago. 2019.

GUIMARÃES, J. A. C. Abordagens teóricas de tratamento temático da informação: catalogação de assunto, indexação e análise documental. Ibersid, 2009. p. 105-117. Disponível em: file:///C:/Users/Marisa/Downloads/3730-Texto%20del%20art%C3%ADculo-3740-1-10-20100124.pdf. Acesso em: 23 maio de 2019.

GUÉDON, J. C. In Oldenburg´s Long Shadow: Librarians, Research Scientists, Publishers and the Control of Scientific Publishing. Association of Research Libraries, 2001. Disponível em: https://www.arl.org/resources/pubs/mmproceedings/138guedon.shtml. Acesso em: 23 fev. 2019.

KING, D. W.; TENOPIR, C. A publicação de revistas eletrônicas: economia da produção, distribuição e uso. Ci. Inf., Brasília, v. 27, n. 2, p. 176-182, maio/ago. 1998. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/799. Acesso em: 23 fev. 2019.

LEITE, F.C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília: IBICT, 2009. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/775/4/Como%20gerenciar%20e%20ampliar%20a%20visibilidade%20da%20informa%C3%A7%C3%A3o%20cient%C3%ADfica%20brasileira.pdf. Acesso em: 02 mar. 2019.

LÓPEZ-COZAR, E. D. Evaluar revistas científicas: un afán com mucho presente y passado e incerto futuro. ABADAL, Ernest (Org.). Revistas científicas: situación actual y retos de futuro. Barcelona: Editora da Universidade de Barcelona, 2017.

MARCOVICH, Anne; SHINN, Terry. Posfácio. In: MERTON, Robert. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo: Associação Filosófica Scientiae Studia; Ed. 34, 2013. p. 253-273.

MCGUIGAN, G. S.; RUSSEL, R. D. The business of academic publishing: a strategic analysis of the academic journal publishing industry and its impact on the future of scholarly publishing. Electronic Journal of Academic and Special Librarianship, v. 9, n. 3, 2008. Disponível em: http://southernlibrarianship.icaap.org/content/v09n03/mcguigan_g01.html. Acesso em: 05 ago. 2019.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999.

MERTON, R. Ensaios de sociologia da ciência. São Paulo: Associação Filosófica Scientiae Studia; Ed. 34, 2013.

MERTON, Robert K. The Sociology of Science: theoretical and empirical investigations. Chicago, University of Chicago Press, 1973.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. Literatura científica, comunicação científica. In: TOUTAIN, Lídia Maria Batista Brandão (Org.). Para entender a ciência da informação. Salvador: EDUFBA, 2007. p.125-144. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/17/PARA%20ENTENDER%20A%20CIENCIA%20DA%20INFORMAMACAO.PDF?sequence=3. Acesso em: 10 fev. 2019.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. O crescimento da ciência, o comportamento científico e a comunicação científica: algumas reflexões. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, v. 24, n. 1, p. 63-84, 1995. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/13022. Acesso em: 18 abr. 2019.

PINTO-SANTOS, A. R.; VILLANUEVA-VALADEZ, C.; CORTÉS-PEÑA, O. Percepciones del docente universitario sobre la comunicación científica de libre acceso. Revista Española de Documentación Científica, v. 42, n.2, p. 01 – 15, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.3989/redc.2019.2.1588. Acesso em: 12 jun. 2019.

SEMIR, V. de. Aproximación a la historia de la divulgación científica. Quark, Barcelona, n. 26, oct./dic. 2002.

RODRIGUES, R.; STUBERT, D. Periódicos científicos da ciência da informação: os títulos indexados na WoS. Revista Española de Documentación Científica, v. 38, p. 1-15, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/283182590_Periodicos_Cientificos_da_Ciencia_da_Informacao_os_titulos_indexados_na_WoS. Acesso em: 15 jan. 2020.

ROSA, F. et al. A presença das editoras universitárias nos acervos dos repositórios institucionais. InCID: Revista Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, Ed. esp., p. 152-164, jul./dez. 2013. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/69307/71782. Acesso em: 05 ago. 2019.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

SERNA-SAUCEDO, N.; VILLANUEVA-VALADEZ, C. Implementación del acceso abierto al conocimiento y repositorio institucional UANL. 2014. Disponível em: http://eprints.uanl.mx/4062. Acesso em: 12 jun. 2019.

STORER, Norman. The social system of Science. New York: Rinehardt e Winston, 1966.

UNESCO. Unesco Science Report: towards 2030. Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. 2015. Disponível em: https://en.unesco.org/usr-contents. Acesso em: 15 ago. 2019.

WAKELING, S. et. al. Motivations, Understandings, and Experiences of Open-Access Mega-Journal Authors: Results of a Large-Scale Survey. Journal of the Association for Information Science and Technology, v.7, n.7, p. 754–768, 2019. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/asi.24154. Acesso em 12 jun. 2019.

WHITLEY, Richard. Changes in the social and intellectual organization of the sciences: professionalization and the arithmetic ideal. In: MENDELSOHN, Everett; WEINGART, Peter; WHITLEY, Richard (Ed.). The social production of scientific knowledge. Dordrechet: Reidel, 1977. p.143-170. (Sociology of the sciences: a yearbook, v. 1).

ZIMAN, John. A força do Conhecimento. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1981.

ZIMAN, John. Conhecimento público. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1979.

ZIMAN, J. M. An introduction to Science studies: the philosophical and social of Science and technology. Cambrigde: University Press, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2020v25n2p302

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional