Entre técnica e reflexão: um estudo da função social das bibliotecas públicas a partir da Teoria Crítica

Mariana Rodrigues Gomes de Mello, Daniel Martínez-Ávila, Leda Maria Araujo, Marta Lígia Pomim Valentim

Resumo


Introdução: As bibliotecas públicas se constituem em espaços de emancipação, através das trocas, partilhas, práticas que conectam e transformam os cidadãos e, consequentemente, a sociedade na qual estão inseridos. Assim, questiona-se: o bibliotecário está preparado para promover ações que contribuam à formação de seres autônomos, críticos e almeja isso? Objetivo: Estabelecer a inter-relação entre o papel da biblioteca pública, a razão subjetiva (técnica) e a razão objetiva (emancipatória) mediante a Teoria Crítica, destacando-se os filósofos Adorno e Horkheimer. Metodologia: Aplicou-se o método ‘Análise do Conteúdo’, mais especificamente a técnica ‘Análise Categorial’, cujas categorias foram estabelecidas a posteriori. Resultados: A partir da aplicação de um questionário para dois coordenadores de bibliotecas públicas, evidenciou-se que além da dimensão técnica que a biblioteca pública traz, que é inerente ao seu funcionamento, há outras que requerem uma reflexão maior, pois o bibliotecário tem, também, a função de mediador da informação e educador no sentido lato, orientando o acesso, a busca de informação e fomentando a vontade de aprender dos usuários. Conclusões: O processo emancipatório, a partir do aporte da Teoria Crítica, perpassa pela reflexão, sensibilização e independência. Organizar os espaços das bibliotecas públicas de modo a instigar a vontade de aprender, facilitando o acesso e a busca de informação é um passo importante na promoção da autonomia.


Palavras-chave


Função Social das Bibliotecas Públicas; Biblioteca Pública; Teoria Crítica; Espaço Maker

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ADORNO, T. W. Educação e emancipação. 2.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

ALMEIDA, M. C. B. de. A ação cultural do bibliotecário: grandeza de um papel e limitações da prática. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v.20, n.1/4, p.31-38, jan./dez. 1987. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2011/08/pdf_bf26644cf9_0018444.pdf. Acesso em: 14 ago. 2019.

ALMEIDA JUNIOR, O. F. de. Bibliotecas públicas e bibliotecas alternativas. Londrina: EDUEL, 1997.

ARISTÓTELES. Tópicos: dos argumentos sofísticos. Metafísica: livro I e livro II. Ética a Nicômaco. Poética. São Paulo: Abril Cultural, 1973. 533p. (Os Pensadores, 4).

SANTOS NETO, J. A. dos; ZANINELLI, T. B. Biblioteca escolar como makerspace: um estudo de caso na Biblioteca Abraham Lincoln. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v.13, n. esp. CBBD, p. 2633-2656, 2017. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/42026. Acesso em: 14 ago. 2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2009.

CONTRIN, G.; FERNANDES, M. Fundamentos de Filosofia. São Paulo: Saraiva, 2013.

DEMO, P. Ambivalência da Sociedade da Informação. Ciência da Informação, Brasília, v.29, n.2, p.37-42, maio/ago. 2000. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/885/920 Acesso em: 14 ago. 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GASQUE, K. C. G. D.; CASARIN, H. de C. S. Bibliotecas escolares: tendências globais. Em Questão, Porto Alegre, v.22, n.3, p.36-55, set./dez. 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/60697. Acesso em: 14 mar. 2019.

HORKHEIMER, M. Eclipse da razão. São Paulo: Centauro, 2013.

JACINTO, S. de O. A biblioteca pública e os deficientes físicos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v.4, n.2, p.89-104, jul./dez. 2004. Disponível em: http://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/92/146. Acesso em: 28 jan. 2019.

JOHNSON, Doug. Power up!/The new school library. Leveraging Teacher Leadership, v.71, n.2, p.84-85, Oct. 2013.

KANT, I. Textos seletos. 2.ed. São Paulo: Vozes, 1985.

MARCUSE, H. Cultura e sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998. v.2.

MANIFESTO DA UNESCO, 1994. Disponível em:https://www.ifla.org/files/assets/public-libraries/publications/PL-manifesto/plmanifesto-pt.pdf. Acesso em: 20 mar. 2019.

MARQUINA, J. Makerspaces en bibliotecas: el fenómeno Bibliomakers. 2017. Disponível em: http://www. Julianmarquina.es/makerspaces-en-bibliotecas-elfenomeno-bibliomakers/. Acesso em: 20 mar. 2019.

MOREIRA, W.; MORAES, I. S. O assunto “classificação” na literatura brasileira de Ciência da Informação: uma análise nos anais do ENANCIB (2003-2014). Informação & Informação, Londrina (PR), v.24, n.1, p.226-246, 2019. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/issue/view/1527. Acesso em: 19 mar. 2019.

MOURA, L. D. de (Coord.). Construindo a cidadania. São Paulo: Makron Books, 1996. 104p.

OLIVEIRA, L. M. B. On arches and stones, places and experiments: Public libraries and democratic society. Transinformação, Campinas (SP), v.29, n.2, p. 203-210, maio/ago. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-7862017000200203&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 15 mar. 2019.

RIGHETTO, G. G; CUNHA, M. F. V.; VITORINO, E. V. O papel social do bibliotecário voltado às pessoas trans: aproximações teóricas. Em Questão, Porto Alegre (RS), v.25, n.1, p.212-238, jan./abr. 2019. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/80877/50330 Acesso em: 24 abr. 2019.

SHERA, J. H. Epistemologia Social e Biblioteconomia. Ciência da Informação, Brasília (DF), v.6, n.1, p.9-12, 1977. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/92/92. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, C. R.; GOBBI, B. C.; Simão, A. A. O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais Agroindustriais, v.7, n.1, p.70-81, 2005. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/878/87817147006.pdf. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, E. da; VALENTIM, M. L. P. Avaliação da aplicação do método análise do conteúdo em pesquisas sobre processos de gestão da informação e do conhecimento como subsídios para a geração de inovação. Informação & Informação, Londrina (PR), v.24, n.1, p. 326-355, jan./abr. 2019. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/31957/pdf. Acesso em: 14 ago. 2019.

TOTTERDELL, B. Public library purpose: a reader. London: Clive Bingley, 1978.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2020v25n4p377

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional