A arte da destruição controlada: reflexões sobre avaliação arquivística e memória

Francisco Alcides Cougo Junior

Resumo


Introdução: O artigo problematiza a relação entre arquivos e memória a partir da função arquivística da avaliação de documentos Objetivo: Recorrer aos estudos contemporâneos da memória para refletir sobre o ato de avaliar documentos e sua respectiva aferição de “valores” para guarda permanente. Metodologia: análise bibliográfica e sistematização dos conceitos de “sociotransmissores”, esquecimento, memória multidirecional e governança memorial. Resultados: propõe uma ampliação das relações entre memória, patrimônio e arquivos, superando a ideia do arquivo apenas como um “lugar de memória” para abranger as funções arquivísticas, seus conceitos, termos e teorias. Conclusões: aproximam-se as concepções de “memória multidirecional”, “governança memorial” e a atividade de avaliação documental.


Palavras-chave


Arquivos. Memória. Avaliação. Patrimônio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2019v24n1p403

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional