As duas teorias arquivísticas segundo John Roberts: uma contribuição aos fundamentos do campo

Shirley Carvalhêdo Franco, Icléia Thiesen, Georgete Medleg Rodrigues

Resumo


Introdução: revisão de literatura científica da arquivologia sobre fundamentos arquivísticos.

Objetivo: apresentar os principais pontos abordados por autores arquivísticos no que diz respeito ao "princípio da proveniência" e o conceito de "fundo".

Metodologia: análise de 23 trabalhos científicos, dentre livros e artigos, compreendendo o período entre 1922 a 2013. Formulação de três questões para um dos autores, enviadas por correio eletrônico.

Resultados: elaboração de um quadro sintético organizado por "ano", "autor", "título da obra" e "país de origem do autor", separando-se os autores clássicos e contemporâneos.

Conclusão: enquanto os autores clássicos reafirmam a validade dos fundamentos, contribuindo para o constructo da disciplina, os autores contemporâneos, a partir de 1960, passaram a tecer críticas, sobretudo ao conceito de fundo e a propor reformulações e complementações ao princípio de proveniência, como exemplo "a noção de ramificação". Compondo o grupo dos autores contemporâneos, destacou-se John Roberts, professor norte-americano de Arquivologia, por tecer em um conjunto de três textos com severas críticas a alguns elementos consagrados da teoria arquivística. Ao responder as questões, John Roberts expôs a gênese de seus questionamentos e a existência de duas teorias arquivísticas: uma, dita "necessária", e a outra, " supérflua".


Palavras-chave


arquivística; arquivos; arquivologia; arquivistas; fontes de informação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n3p35

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional