Gestão do conhecimento e competência em informação: possíveis relações e perspectivas de atuação do profissional arquivista

Renata Lira Furtado, Regina Celia Baptista Belluzzo

Resumo


Introdução: Reflexões sobre o lugar que o arquivista ocupa na atualidade, suas perspectivas de atuação, o desenvolvimento de competências e habilidades inerentes ao fazer arquivístico relacionado à era pós-custodial, bem como o estabelecimento de novas e possíveis relações. Objetivo: Estabelecer uma relação entre o papel do arquivista na sociedade contemporânea, envolvendo sua atuação no contexto da Gestão do Conhecimento e no desenvolvimento da Competência em Informação. Metodologia: Pesquisa Bibliográfica em documentos impressos e eletrônicos, com autores da Arquivologia, Administração e Ciência da Informação, com o intuito de construir um referencial teórico que sustente a interlocução dos temas propostos. Resultados: A partir do referencial teórico construído foi possível estabelecer a possibilidade de atuação do arquivista na Gestão do Conhecimento, considerando os preceitos teóricos da pós-custodial e a relevância do desenvolvimento da Competência em Informação para atuação profissional nesse cenário, diante da identificação das necessidades de conversão do conhecimento tácito em explícito e na atuação em ações de promoção da Competência em Informação para os sujeitos da organização. Conclusões: Pensar na atuação do arquivista na Gestão do Conhecimento e na Competência em Informação, fora do contexto teórico, num universo prático remete para outra situação: questionar se os profissionais arquivistas atuantes estão preparados para essa realidade pós-custodial, ou ainda enfrentam uma realidade de arquivos como depósitos de documentos, da arquivística empírica, pautada no senso comum, de desvalorização do profissional e se os cursos de graduação em Arquivologia propiciam esse tipo de reflexão, de experiência.


Palavras-chave


Arquivista; Gestão do Conhecimento; Competência em Informação

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIATION OF COLLEGE AND RESEARCH LIBRARIES (ACRL). Framework for Information Literacy for Higher Education. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

ARAÚJO, C. A. Á. Epistemologia da Arquivologia: fundamentos e tendências contemporâneas. Ciência da Informação, Brasília, v. 42, n. 1, jan. 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2015.

BARBOSA, R. R. Gestão da informação e do conhecimento: origens, polêmicas e perspectivas. Informação & Informação, v. 13, n. 1 especial, p. 1-25, 2008.

BASSETTO, C. L.; BELLUZZO, R. C. B. A competência em informação como diferencial competitivo para os profissionais de informação no contexto da sociedade informacional. In: Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação (CBBD), 25, 2013. Florianópolis. Anais eletrônicos... Florianópolis: FEBAB, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2016.

BELLUZZO, R. C. B. O conhecimento, as redes e a competência em informação (CoInfo) na sociedade contemporânea: uma proposta de articulação conceitual. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, p. 48-63, 2014.

BELLUZZO, R. C. B.; FERES, G. G. (Org.). Competência em informação: de reflexões as lições aprendidas. São Paulo: FEBAB, 2013.

BRASIL. Decreto n° 82.590, de 6 de novembro de 1978. Regulamenta a Lei n. 6.546, de 4 de julho de 1978, que dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e técnico de Arquivo. Diário Oficial da União, seção 1, 7 nov. 1978, p. 17834.

BRASIL. Lei n ° 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2016.

BRASIL. Lei n ° 6.546, de 04 de julho de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, e dá outras providências Diário Oficial da União, seção 1, 5 jul. 1978, p. 10296.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Parecer n º 492, de 03 de abril de 2001. Trata dos processos das Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia remetidas pela SESu/MEC para apreciação da CES/CNE. Diário Oficial da União, 09 jul. 2001, seção 1, p. 50.

BUCKLAND, M. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v. 42, n. 5, 1991.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac São Paulo, 2003. 425p.

CONEGLIAN, A. L. O. Inserção da competência em informação em documentos prescritivos e normativos e a prática de professores do ensino fundamental da rede municipal da educação – ciclo I, na cidade de Marília-SP. 2013. 166 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho– Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2013. Disponível em: . Acesso em: 21 nov. 2015.

COUTURE, C.; ROUSSEAU, Jean-Yves. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

CRUZ NETO, Otávio. et al. O trabalho de campo como descoberta e criação. Pesquisa social: teoria, método e criatividade, v. 4, p. 51-66, 1994.

DETLOR, B. Information management. International Journal of Information Management, v. 30, p. 103-108, abr. 2010.

DUDZIAK, E. A. A Information Literacy e o papel educacional das bibliotecas. 2001. 187 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, 2001. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2015.

DUDZIAK, E. A. Os faróis da sociedade de informação: uma análise crítica sobre a situação da competência em informação no Brasil. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 18, n. 2, p. 41-53, maio/ago. 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2015.

DUFF, W. M. Mediação arquivística. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016. p. 171-202.

EASTWOOD, T. Um domínio contestado: a natureza dos arquivos e a orientação da ciência arquivística. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. Correntes atuais do pensamento arquivístico. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2016. p. 19-45.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista de administração contemporânea, Rio de Janeiro, v. 5, n. especial, p. 183-196, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GUTIÉRREZ, M. Pérez-Montoro. O conhecimento e sua gestão em organizações. In: TARAPANOFF, K. (Org.). Inteligência, informação e conhecimento. Brasília: IBICT, UNESCO, 2006. p.117-138.

HORTON JR., F. W. Understanding information literacy: a primer. Paris: UNESCO, 2008.

_____. Overview of information literacy: resources worldwide. Paris: UNESCO, 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

_____. Overview of information literacy: resources worldwide. 2.ed. Paris: UNESCO, 2014/2015. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2016.

JACINTHO, E. M. dos S. B. El mercado de trabajo para archiveros según los anuncios brasileños de empleo (2012-2014): análisis y organización terminológicos de ofertas empresariales. 2016. 577 f. Tesis (Doctorado en Documentación) - Universidad Carlos III de Madrid, Departamento de Biblioteconomía y Documentación, Getafe, 2016.

LAIPELT, R. do C. F. Navegação na internet e competências informacionais: o exercício da cidadania em telecentros comunitários de Porto Alegre. 2007. 109 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Porto Alegre, 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 nov. 2015.

LINS, G. S.; LEITE, F. C. L. Comportamento informacional como aporte teórico para consolidação conceitual de competência informacional no contexto da comunicação científica. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, 15, 2008, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: CRUESP, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2015.

LOPES, L. C. A imagem e a sombra da arquivística. Rio de Janeiro, 1998.

MORENO, N. A. Gestão documental ou gestão de documentos: trajetória histórica. In: ____. Gestão em arquivologia: abordagens múltiplas. Londrina: EDUEL, 2008. p. 71-88.

PONJUÁN DANTE, G. Gestión de la información: dimensiones e implementación para el éxito organizacional. Rosario: Nuevo Parhadigma, 2004. 214 p.

SERRA JÚNIOR, L. R. O papel do arquivista na gestão do conhecimento. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2015.

SCHMIDT, C. M. dos S. O "Clássico" e o "Pós-moderno": algumas reflexões acerca da Arquivologia a partir do pensamento de Hilary Jenkinson e Terry Cook. Informação Arquivística, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 42-59, jan./jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2015.

SMITH, K. R. Defining the role of digital archivist. 2013. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2016.

SVEIBY, Karl-Erik. A knowledge-based theory of the firm to guide in strategy formulation. Journal of intellectual capital, v. 2, n. 4, p. 344-358, 2001. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2015.

TREHAN, R. Knowledge management, a business perspective. Hospitality Net, 2005. Disponível em . Acesso em: 02 dez. 2015.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento em ambientes organizacionais: conceitos e compreensões. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 1, n. 1, 2008.

VICTORELLI, D. S. da S. Percepção e perspectivas dos adolescentes sobre a TV digital. 2011. 276 f. Dissertação (Mestrado em Televisão Digital: Informação e Conhecimento) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Bauru, 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2015.

WILSON, T. D. A problemática da gestão do conhecimento. In: TARAPANOFF, K. Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Brasília: IBICT, UNESCO, 2006.

YAFUSHI, C. A. P. A Competência em informação para a construção de conhecimento no processo decisório: estudo de caso na Duratex de Agudos (SP). 2015. 232 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n2p314

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional