Uso de ontologia na recuperação da informação em acervos digitais de jornais

Luana Carla de Moura dos Santos, Marisa Bräscher

Resumo


Introdução: Visa a modelagem de uma ontologia do domínio do futebol para o tratamento de variações diacrônicas e sincrônicas da língua. Objetivo: Apoiar a recuperação da informação em acervos digitais de jornais. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa aplicada, utilizando como base um acervo digital de jornal. Utiliza a metodologia OntoForInfoScience, de Mendonça (2015) para desenvolver a ontologia do domínio do futebol. Cronologicamente, o recorte estabelecido abrange terminologia utilizada entre 1900 a 2015, período que contempla a existência dos clubes de futebol no Brasil. A ontologia foi formalizada em linguagem lógica com o auxílio do editor Protegé. Como forma de avaliar a ontologia desenvolvida, elaborou-se questões de competência que foram executadas em linguagem SPARQL. Resultados: A análise dos resultados permitiu evidenciar que sem o uso da ontologia nos acervos digitais de jornais, a recuperação das informações é exaustiva e recupera documentos não relevantes. Conclusão: Com a inclusão da ontologia, a pesquisa por informações pode prescindir tanto letramento do usuário, pois com os relacionamentos formados, não é necessário realizar inúmeras buscas para recuperar conceitos e expressões equivalentes.


Palavras-chave


Recuperação da Informação; Acervo Digital de Jornal; Ontologia de Domínio; Futebol

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. B.; MENDONÇA, F. M.; AGANETTE, E. C. Interfaces entre ontologias e conceitos seminais da Ciência da informação: em busca de avanços na organização do conhecimento. In: ENANCIB, v. 4, 2013, Florianópolis. Anais eletrônicos... Disponível em: http://repositorios.questoesemrede.uff.br/repositorios/bitstream/handle/123456 789/2339/INTERFACES ENTRE ONTOLOGIAS.pdf?sequence=1>. Acesso em: 13 set. 2016.

ALMEIDA, M. B.; OLIVEIRA, V.; COELHO, K. Estudo exploratório sobre ontologias aplicadas a modelos de sistemas de informação: perspectivas de pesquisa em Ciência da Informação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, set. 2010. Disponível em: http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/10987/14369>. Acesso em: 13 set. 2016.

ANSI/NISO Z39.19-2005. Guidelines for the construction, format, and management of monolingual thesauri. 2005. Disponível em: http://www.niso.org/apps/group_public/download.php/12591/z39-192005r2010.pdf>. Acesso em: 23 set. 2016.

ARANO, S. Los tesauros y las ontologías en la Biblioteconomía y la Documentación. Thesauruses and ontologies. Hipertext.net, 2005, n. 3.

BAEZA-YATES, R.; RIBEIRO-NETO, B. Modern information retrieval. 1st ed. Boston, MA: Addison-Wesley Longman Publishing Co., Inc., 1999.

BERNERS-LEE, T.; HENDER, J.; LASSILA, O.. The semantic web: a new form of web content that is meaningful to computers will unleash a revolution of new possibilities. 2001. Disponível em: http://www.cs.umd.edu/~golbeck/LBSC690/SemanticWeb.html84A9809EC 588EF21>. Acesso em: 02 set. 2016.

BHOGAL, J.; MACFARLANE, A.; SMITH, P.. A review of ontology based query expansion. Information Processing & Management, v. 43, n. 4, p.866-886, jul. 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2016.

BOCCATO, V. R. C.; RAMALHO, R. A. S.; FUJITA, M. S. L. A contribuição dos tesauros na construção de ontologias como instrumento de organização e recuperação da informação. IBERSID: revista de sistemas de información y documentación, número monográfico, p. 199-209, 2008.

BREITMAN, K. K. Web semântica: a internet do futuro. Rio de Janeiro: LTC, 2010. xvii, 190 p

CAMPOS, M. L. A. O papel das definições na pesquisa em ontologia. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 15, p. 220238, abr. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v15n1/13.pdf>. Acesso em: 24 fev. 2016.

CURRÁS, E. Tesauros, linguagens terminológicas. Tradução de Antônio Felipe Corrêa da Costa. Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, 1995.

DODEBEI. V. Tesauro: linguagem de representação da memória documentaria. Rio de Janeiro: Intertexto, 2002.

FARIA, M. J. F. L. Definição de uma ontologia aplicada ao futebol. 2009. 147 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Porto, 2009. Disponível em: http://paginas.fe.up.pt/~ee99157/FariaTese.pdf>. Acesso em: 24 fev. 2016.

GUARINO, N. Formal ontology in information systems. Proceedings of FOIS’98, Trento, Italy, 6-8 June 1998. Amsterdam, IOS Press, pp. 3-15, 1998.

HAAV, H.; LUBI, T. A Survey of concept-based information retrieval tools on the web.2001. Disponível em: http://www.mii.vu.lt/ADBIS/local2/haav.pdf>. Acesso em: 24 set 2016.

KROVETZ, R.; CROFT, W. B. Lexical Ambiguity and Information Retrieval. ACM Transactions on Information Systems, v.10, n.2. p. 115-141, 1992. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.11.1928&rep=rep1& type=pdf>. Acesso em: 01 set 2016.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 3ed. São Paulo: Atlas, 1991.

LOPES, I. L. Uso das linguagens controlada e natural em bases de dados: revisão da literatura. Ci. Inf, Brasília, v. 1, n. 31, p.41-52, abr. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v31n1/a05v31n1.pdf>. Acesso em: 24 set. 2016.

MANNING, C. D.; SCHÜTZE, H. Foundations of statistical natural language processing. Cambridge, Massachusetts / London, England: The MIT Press, 1999. Disponível em: http://ics.upjs.sk/~pero/web/documents/pillar/Manning_Schuetze_StatisticalNL P.pdf> Acesso em: 01 set 2016.

MARTELOTTA, M. E. Mudança linguística: uma abordagem baseada no uso. São Paulo: Cortez, 2011

MELO, F. J. D.; BRASCHER, M. Fundamentos da lingüística para a formação do profissional da informação. Brasília: Thesaurus, 2011. MENDONÇA, F. M. Ontoforinfoscience: metodologia para construção de ontologias pelos cientistas da informação: uma aplicação prática no desenvolvimento da ontologia sobre componentes do sangue humano (HEMONTO). 2015. 311 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciência da Informação, Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUBD-A35H3K>. Acesso em: 17 set 2016.

MOREIRO GONZÁLEZ, J. A. Linguagens documentárias e vocabulários semânticos para a web. Salvador: Edufba, 2011.

MOURA, D. O. O ‘sincrônico’, o ‘diacrônico’, o acontecimento e a errância de sentidos na análise do discurso jornalístico. Comunicação & Informação, Brasil, v. 2, n. 12, p.63-73, jul. 2009. Semestral. Disponível em: http://www.revistas.ufg.br/index.php/ci/article/view/12270/8132>. Acesso em: 15 set. 2016.

REIS, L. P.; LAU, N. Coach Unilang: a standard language for coaching a (Robo) socer team. Disponível em: http://eaia07.di.fc.ul.pt/docs/reis/Reis%20Atelier/paginas.fe.up.pt/_lpreis/EAIA 07/Docs/COACH_UNILANG_A_Standard_Language_for_Coaching_a_(Robo)_ Soccer_Team.pdf>. Acesso em: 24 set 2016.

SALES, R.; CAFÉ, L. Semelhanças e Diferenças entre Tesauros e Ontologias. Datagramazero, Rio de Janeiro, v. 8, n. 4, ago. 2008. Disponível em: http://www.dgz.org.br/ago08/Art_02.htm>. Acesso em: 23 set. 2016.

SCHIESSL, M. Lexicalização de ontologias: o relacionamento entre conteúdo e significado no contexto da Recuperação da Informação. 2015. 259 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciência da Informação, Programa de Pósgraduação em Ciência da Informação da Universidade, Universidade de Brasília, Brasília, 2015. Disponível em: http://www.repositorio.unb.br/bitstream/10482/18663/1/2015_MarceloSchiessl.pdf>. Acesso em: 02 mar. 2017.

SOERGEL, D. Functions of a Thesaurus / Classification / Ontological Knowledge Base. College of Library and Information Services, University of Maryland, 1997. Disponível em: http://www.dsoergel.com/cv/soergelfctclass.pdf>. Acesso: 06 set. 2016.

SOUZA, R. R.; ALVARENGA, L. A web semântica e suas contribuições para a ciência da informação. Ciência da Informação, v.33, n. 1, p. 132-141, jan./ abr. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010019652004000100016&script=sci_arttext>. Acesso em: 09 ago. 2016.

STUDER, R.; BENJAMINS, V. R.; FENSEL, D. Knowledge Engineering: Principles and methods. Data & Knowledge Engineering, n.25, 1998, p.161167. Disponível em: http://www.it.iitb.ac.in/~palwencha/ES/Knowledge%20engineering%20%20Principles%20and%20methods.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2016.

SURE, Y.; STAAB, S.; e STUBER, R. On-To-Knowledge Methodology (OTKM). 2003.Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.14.798&rep=rep1&ty pe=pdf>. Acesso em: 08 set de 2016.

USCHOLD, M.; JASPER, R. A framework for understanding and classifying ontology applications. 1999. Disponível em: http://ceur-ws.org/Vol-18/11uschold.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2016.

VICKERY, BC. Ontologies. Journal of Information Science, v.23, n.4, p. 227 – 286, Jan. 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n3p346

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional