A bibliografia no Brasil segundo os preceitos otletianos: a liderança da Biblioteca Nacional e outras ações

Carlos Henrique Juvêncio, Georgete Medleg Rodrigues

Resumo


Introdução: Os ideais de Paul Otlet e Henri La Fontaine para a criação de uma grande fonte de informação perpassaram pela propaganda junto a governos, instituições e pessoas do mundo todo, as palavras de ordem eram Mundialismo, Internacionalismo e Universalismo. Nesse sentido, vários órgãos brasileiros aderem à proposta disseminada por meio do Instituto Internacional de Bibliografia por eles fundado em 1895.

Objetivo: Neste artigo objetivamos descrever algumas das ações no Brasil do início do século XX que foram ao encontro dos ideais da dupla belga.

Metodologia: A pesquisa foi desenvolvida utilizando documentos de arquivo, sobretudo os da Biblioteca Nacional, e publicações à época, notadamente bibliografias editadas por diferentes órgãos.

Resultados: Observa que instituições de relevo no contexto brasileiro se apropriaram do ideal Otletiano como, por exemplo, o Real Gabinete Português de Leitura, a Biblioteca Nacional e a Biblioteca da Marinha.

Conclusões: Conclui que grande parte das ações buscou enriquecer o Repertório Bibliográfico Universal e serviram como meio de propagação da CDU, mas que o maior ícone da influência dos Documentalistas no Brasil foi a Biblioteca Nacional, onde os preceitos de Otlet e La Fontaine influenciaram de forma mais profunda.


Palavras-chave


Bibliografia. Biblioteca Nacional. Documentação. Henri La Fontaine. Instituto Internacional de Bibliografia. Paul Otlet.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2015v20n2p184

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional