O gesto bibliográfico e a modernidade

Vinícios Menezes

Resumo


Introdução: A bibliografia partilha de uma esfera discursiva tensiva, ora intensamente textual, ora demasiadamente estatística. Por ora, em linhas gerais, põe-se a bibliografia em perspectiva como uma performance linguística que porta consigo milênios de tradição, reviravoltas, guinadas, estagnações, que todavia não lhe arranca o frescor. O inverso, a torna cada vez e sempre mais instigante, vide as falas de Gabriel Peignot “a bibliografia é o mais vasto e universal de todos os conhecimentos humano”, e de Alfredo Serrai “a bibliografia é a mãe de todas as disciplinas da representação escrita”.

Objetivo: Esse ensaio busca apresentar a dinâmica tensiva da Bibliografia e suas alternâncias valorativas. A intenção central é tecer como questão de princípio da Bibliografia a dimensão linguístico-pragmática.

Metodologia: O enfoque teórico-reconstrutivo é o abordado, a partir das possibilidades de abertura às instâncias passíveis de desenvolvimento e realização. Entendendo a bibliografia como Paul Otlet, enquanto meio, guiamo-nos pelos seus usos – cognitivos e comunicativos. Contudo, também nos indagamos acerca da modernidade da bibliografia e suas questões de permanente discussão: tem por fim “algo maior” como uma ciência geral dos livros/documentos, como em Otlet? Ou, será arte exegética dos hermeneutas e críticos? Ou ainda, alguma coisa totalmente outra? Ou talvez, nem tanto nem tão pouco, há um equilíbrio reflexivo possível de ser estabelecido?

Resultados: Orientamo-nos “para” dimensão humanístico-universal implicada na bibliografia, acreditando ser esta um meio para o uso público da razão tão propagado, mas tão pouco realizado pela modernidade.

Conclusões: Ao final, são postos argumentos acerca de uma devida recontextualização e de uma possível reconstrução de alguns pressupostos bibliográficos, visando seus respectivos potenciais emancipatórios, outrora inconclusos no projeto do esclarecimento (Aufklärung).


Palavras-chave


Bibliografia. Filosofia da linguagem. Modernidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2015v20n2p168

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional