Folksonomias, redes sociais e a formação para o tagging literacy: desafios para a organização da informação em ambientes colaborativos virtuais.

Maria Aparecida Moura

Resumo


O uso combinado dos sistemas de etiquetagem social (social tagging), da personalização tecnológica bem como do funcionamento colaborativo em redes sociais trouxe novos desafios à organização e à recuperação da informação contemporânea em ambientes colaborativos virtuais. Esses desafios estão, sobretudo, na alteração da mediação na organização e acesso à informação, hoje exercida e compartilhada de modo dinâmico pelos usuários finais por meio de um conjunto de camadas tecnológicas.  Neste artigo, analisam-se as implicações sociais e técnicas dos fatores intervenientes, notadamente as folksonomias e a personalização tecnológica, na organização da informação e do conhecimento em ambientes colaborativos. Sistematizam-se os acordos estabelecidos nos processos de organização da informação e recuperação da informação em ambientes colaborativos abertos. Apresentam-se os conceitos de identidade informacional, ambientes virtuais de trocas e culturas informacionais e o conceito de cultura classificatória (tagging literacy) que compreende as questões do usuário, na condição de ator principal na especificação de necessidades informacionais.

 

 


Palavras-chave


Organização da Informação; Competência Classificatória; Folksonomias; Redes Sociais; Ambientes Colaborativos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2009v14n1espp25

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional