A influência dos critérios lógicos e formais da CAPES na disciplinarização da produção intelectual do campo das Artes/Música

Anderson Café, Núbia Moura Ribeiro, Roberto Leon Ponczek

Resumo


Introdução: Discute-se como o conhecimento mediato, lógico e formal da CAPES, representado pelos seus critérios de avaliação, tem corroborado para a padronização da produção intelectual no campo das Artes, no qual, conforme Hessen (2000), predomina um tipo de conhecimento imediato, informal e intuitivo.

Objetivo: Refletir a referida questão, buscando-se evidenciar o grau de padronização e sistematização da produção intelectual em três programas de Pós-graduação pertencentes ao campo das Artes/Música, avaliados pela Capes, em 2013.

Metodologia: Realizou-se uma análise comparativa entre os pesos atribuídos à produção artística e científica no campo das Artes/Música e a efetiva produção dos três programas estudados, publicada entre 2010 e 2012.

Resultados: A análise dos dados revelou que mesmo no campo das Artes/Música, os programas de Pós-graduação ainda são mais pontuados, levando-se em conta a quantidade de artigos científicos publicados que é o instrumento privilegiado do conhecimento mediato, lógico e formal, em detrimento das produções artísticas, próprias do conhecimento imediato, intuitivo e criativo.

Conclusão: O funcionamento da Pós-graduação está alicerçado em um conjunto de conhecimentos formais, expressos em documentos normativos, através dos quais a CAPES exerce o poder, a disciplina e o estímulo para tornar padronizadas as produções intelectuais.


Palavras-chave


Teoria do Conhecimento; Poder Disciplinar; Campo Científico; Produção Intelectual; Sistema de Avaliação; CAPES

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, Cármen Lúcia Rodrigues. Produção artística na universidade: relações de trabalho do professor - artista na Unicamp. Comunicações, Piracicaba, ano 17, n. 2, p. 51-64, jul./dez. 2010.

AXT, Margarete. O pesquisador frente à avaliação na pós-graduação: em pauta novos modos de subjetivação. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 69-85, 2004.

BOURDIEU, Pierre. O campo científico. In: ______. Sociologia. São Paulo: Ática, 1983. p. 122-155.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

BOURDIEU, Pierre. Para uma sociologia da ciência. Lisboa: Edições 70, 2001. (Coleção Biblioteca, 70).

CARVALHO, Yara M.; MANOEL, Edison J. Para além dos indicadores de avaliação da produção intelectual na grande área da saúde. Movimento, Porto Alegre, v. 12, n. 3, p. 193-225, set./dez. 2006.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES. Avaliação da pós-graduação: documento de área da trienal 2013 - artes/ música). 2013a. Disponível em: http://www.capes.gov.br>. Acesso em: 17 mar. 2014.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES. Avaliação da pós-graduação: relatório de avaliação da trienal 2013 - artes/ música. 2013b. Disponível em: http://www.capes.gov.br>. Acesso em: 17 mar. 2014.

CORREIA, Anna Elizabeth Galvão Coutinho; ALVARENGA, Lídia; GARCIA, Joana Coeli Ribeiro. Publicar é preciso, transformar cientista em máquina não é preciso. DataGramaZero: Revista de Informação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, jun. 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

HESSEN, Joannes. Teoria do conhecimento. Tradução de João Vergílio Gallerani Cuter. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LUIZ, Ronir Raggio. Avaliação de produtividade acadêmica: uma proposta de quantificação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 3, n. 6, p. 300-312, dez. 2006.

LUZ, Madel T. Prometeu acorrentado: análise sociológica da categoria produtividade e as condições atuais da vida acadêmica. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 39-57, 2005.

MASSONI, Neusa Teresinha. Epistemologias do século XX. 2005. Dissertação (Mestrado em Ensino de Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física. Porto Alegre, 2005.

OLIVEIRA, Marcos Barbosa. A avaliação neoliberal na universidade e a responsabilidade social dos pesquisadores. Scientle Studia, São Paulo, v. 6, n. 3, p. 379-387, 2008.

PONCZEK, Roberto Leon. Deus, ou seja, a natureza: Spinoza e os novos paradigmas da física. Salvador: Edufba, 2009.

PONCZEK, Roberto Leon. Os crocodilos guardiões e a biblioteca da babilônia: manhas, artimanhas e imposturas acadêmicas. Curitiba: CRV, 2013.

ROSA, Alexandre Reis. Nós e os índices: um outro olhar sobre a pressão institucional por publicação. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 48, n. 4, out./dez. 2008.

SANTOS, Cássio Miranda. Tradições e contradições da pós-graduação no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 24, n. 83, p. 627-641, ago. 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n1p159

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional