A Memória organizacional nos processos de gestão do conhecimento: um estudo na Universidade Federal do Paraná

Maria Olívia Ferreira Pereira, Helena de Fátima Nunes Silva, José Simão de Paula Pinto

Resumo


Introdução: A Memória Organizacional permite a identificação, o registro, o uso e reuso de informações e conhecimentos construídos a partir da prática. As Universidades precisam aperfeiçoar as suas práticas relacionadas à utilização e reutilização de informações decorrentes de experiências vivenciadas e aprendidas por elas.

Objetivo: Busca identificar a memória organizacional como um elemento que envolve a representação do conhecimento e da informação como uma prática da Gestão do Conhecimento na Universidade Federal do Paraná.

Metodologia: Estudo de natureza exploratória, apoiado em uma revisão da literatura. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário online com os funcionários que trabalham na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação – PRPPG da UFPR.

Resultados: Os resultados apresentam dados sobre a escolaridade do pessoal estudado. É observado que os funcionários percebem a importância da Memória Organizacional, mas ainda não tem consciência da sua relevância como elemento essencial de gestão.

Conclusões: Conclui que a memória organizacional deve ser utilizada como um instrumento que propicia o compartilhamento e reuso do conhecimento corporativo e individual. 


Palavras-chave


Gestão do Conhecimento; Memória Organizacional; Compartilhamento do Conhecimento; Reuso do Conhecimento; Cultura Organizacional

Texto completo:

PDF

Referências


ABECKER, Andreas et al. Towards a technology for organisational memories. IEEE Intelligent Systems, Los Alamitos, v. 13, n. 3, p. 40-48, may/jun. 1998.

ACKERMAN, Mark S.; HALVERSON, Christine. Considering an organization’s memory. In: ACM CONFERENCE ON COMPUTER SUPPORTED COOPERATIVE WORK, 1998, Seattle. Proceedings… Washington: ACM, 1998. p. 39-48.

AHLGREN, Riikka. Software patterns, organizational learning and software process improvement. Jyväskylä: Faculty of Information Technology, University of Jyväskylä, 2011.

ALWIS, Dee; HLUPIC, Vlatka; RZEVSKI, George. Designing organizational memory in knowledge intensive companies: a case study. 2004. Disponível em: http://www.km.fhkoeln.de/content/dateien/Publikationem/Rzevski_07_OrganizationalMemoryKMBook.pdf>. Acesso em: 12 out. 2012.

ARGOTE, Linda; MIRON-SPEKTOR, Ella. Organizational learning: from experience to knowledge. Organization Science, Providence, v. 22, n. 5, p. 1123-1137, 2011.

ARGYRIS, Chris; SHÖN, Donald A. Organizational learning: a theory of action perspective. Massachusetts: Addison-Wesley, 1978.

BATISTA, Fábio Ferreira. Modelo de gestão do conhecimento para a administração pública brasileira: como implementar a gestão do conhecimento para produzir resultados em benefício do cidadão. Brasília: Ipea, 2012.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2003.

CONKLIN, Jeff. Designing organizational memory: preserving intellectual assets in a knowledge economy. 2001. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2012.

COSTA, Sérgio Paulo Muniz. Cultura organizacional nas empresas e nas instituições. In: TAPARANOFF, Kira (Org.). Aprendizado organizacional: fundamentos e abordagens multidisciplinares. Curitiba: Ibpex, 2011. v. 1. Cap. 7.

FIEDLER, Marina; WELPE, Isabell. How do organizations remember? The influence of organizational structure on organizational memory. Organization Studies, Berlin, v. 31, n. 4, p. 381-407, 2010.

FLEURY, Afonso Carlos Correa; FLEURY, Maria Teresa Leme. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebracabeça caleidoscópio de uma indústria brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.

FREIRE, Patrícia Sá et al. Memória organizacional e seu papel na gestão do conhecimento. Revista de Ciências da Administração, Florianópolis, v. 14, n. 33, p. 41-51, ago. 2012.

GANDON, Fabien. Distributed artificial intelligence and knowledge management: ontologies and multi-agent systems for a corporate semantic web. 2002. 483 f. Thesis (Scientific philosopher doctorate in informatics) - Doctoral school of sciences and technologies of information and communication, INRIA and University of Nice Sophia Antipolis, Nice, 2002.

JENNEX, Murray E.; OLFMAN, Lorne. Organizational memory. In: HOLSAPPLE, Clyde W. Handbook on knowledge management. Kentucky: Springer Verleg, 2004. p. 207-234.

LASPISA, David Frederick. Influência do conhecimento individual na memória organizacional: um estudo de caso em call centers. 2007. 120 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2007.

LEBLANC, Adeline; ABEL, Marie-Hélène. Using organizational memory and forum in an organizational learning context. 2007. Disponível em: http://ieeexplore.ieee.org/stamp/stamp.jsp?tp=&arnumber=4444234>. Acesso em: 18 dez. 2013.

LEHNER, Franz; MAIER, Ronald K. How can organizational memory theories contribute to organizational memory systems? Information Systems Frontiers, v. 2, n. 3/4, p. 277- 298, 2000. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/220199019_How_Can_Organizational_Memory_Theories_Contribute_to_Organizational_Memory_Systems>. Acesso em: 18 dez. 2013.

MARCH, James G.; OLSEN, Johan. P. Organizational learning and the ambiguity of the past. In: ______ (Ed.). Ambiguity and choice in organizations. Oslo: Universitetsforlaget, 1979. p. 54-68.

MORESI, Eduardo A. D. Perspectivas de pesquisa em inteligência organizacional. In: CONGRESSO IBEROAMERICANO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA - GeCIC, 2006, Curitiba. Anais... Curitiba, 2006. Disponível em: http://www.gecic.com.br/artigos.asp?07>. Acesso em: 24 nov. 2012.

NILAKANTA, Sree; MILLER, L. L.; ZHU, Dan. Organizational memory management: technological and research issues. Journal of Database Management, Pennsylvania, v. 17, n. 1, p. 85-94, jan./mar. 2006.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

O'DELL, Carla; GRAYSON JUNIOR, Jackson. If only we knew what we know: the transfer of internal knowledge and best practice. New York: The Free Press, 1998.

OLIVEIRA, Fernando. Memory system in organization: an empirical investigation of mechanism for knowledge colletion, storage and access. Journal of Management Studies, Oxford, v. 37, n. 6, p. 811-832, 2000.

PROBST, Gilbert; RAUB, Steffen; ROMHARDT, Kai. Gestão do conhecimento: os elementos construtivos do sucesso. Bookman, 2002.

REÁTEGUI, Ruth. Efetividad de los sistemas de memoria organizacional de uma institución de educación superior. Revista Actualidades Investigativas en Educación, San José, v. 13, n. 1, p. 1-27, jan./abr. 2013.

SHEN, Feng; LIU, Hongli. Modeling university knowledge network. Education Technology and Computer Science, v. 3, p. 132-136, 2010.

SCHEIN, Edgard. What is culture? In: FROST, Peter J. et al. Reframing organizational culture. Newbury: Sage, 1991.

SIMIÃO, Hugo Eduardo. Memória organizacional. 2009. Disponível em: http://www.pr.gov.br/celepar/celepar/batebyte/edicoes/2001/bb115/me moria.htm>. Acesso em: 7 fev. 2012.

STEIN, Eric W. Organizational memory: review of concepts and recommendations for management. International Journal of Information Management, Guildford, v. 15, n. 2, p. 17-32, 1995.

STEIN, Eric W.; ZWASS, Vladimir. Actualizing organizational memory with information systems. Informaction Systems Research, Providence, v. 6, n. 2, p. 85-117, 1995.

SVEIBY, Karl Erik. E. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios do conhecimento. 5. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

VON KROGH, Georg; ICHIJO, Kengo; NONAKA, Ikujiro. Facilitando a criação de conhecimento: reinventando a empresa com o poder da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

WALSH, James P.; UNGSON, Gerardo Rivera. Organizational memory. Academy of Management Review, Mississipi, v. 16, n. 1, p. 57-91, 1991.

WEXLER, Mark N. Organizational memory and intellectual capital. Journal of Intellectual Capital, v. 3, n. 4, p. 393-414, 2002.

WIIG, Karl M. Knowledge management in public administration. Journal of Knowledge Management, v. 6, n. 3, p. 224-239, 2002.

ZAGO, Célia Cristina. Cultura organizacional: dimensões estruturais e aspectos dinâmicos. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.15, n. 2, p. 63-93, 2005. Disponível em: http://www.informacaoesociedade.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/viewFile/32/30>. Acesso em: 3 fev. 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n1p348

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional