A contribuição da análise de redes sociais na gestão da informação nas organizações: um estudo de caso

Andréa Lúcia Lara Mendes

Resumo


No dia a dia das organizações, pessoas interagem para realizar suas tarefas de trabalho. Por detrás de cada computador pessoal, telefone, fax e mesmo da redação de um texto impresso, há funcionários capturando e/ou transmitindo informação na busca de atender suas demandas ou de criar soluções para os problemas da organização. Sendo assim, a efetividade no uso dos recursos informacionais nas organizações passa pelo reconhecimento do homem como elemento fundamental do processo informacional e pelo aprendizado de como trabalhar com esse recurso, (Macedo, 1999). Com base nessas premissas, esta pesquisa utilizou a abordagem da Análise de Redes Sociais (ARS) para analisar o fluxo de informação no setor de uma empresa, pressupondo que a comunicação entre os funcionários forma uma rede. A ARS possui escopo teórico e metodologia próprios. Neste estudo, as relações são as trocas e/ou compartilhamento de informações entre os funcionários. A informação é vista como o conteúdo da relação e os atributos individuais dos funcionários, ‘cargo’ e ‘equipe’, entram como vetores na formação de subgrupos para auxiliar a análise. Segundo a ARS, as relações entre os indivíduos do grupo definem a estrutura da rede. A posição de cada indivíduo em relação à rede faz diferença, influenciando comportamentos, percepções e atitudes, para si e para todo o grupo. Assim, as posições ocupadas são em si mesmo recursos estratégicos que podem facilitar determinado curso de ação ou constranger outros. O fluxo da informação foi coletado via planilhas excel. Durante 10 dias alternados, os funcionários registravam cada contato, considerando se era face-a-face ou se era mediada por TIC. No desenho da rede as pessoas foram representadas por ‘pontos’ e a troca de informações por traços ou setas, dependendo do tipo do sociograma. Nesta pesquisa foi utilizado o software denominado UCINET 6.123. Para assegurar acuracidade nas informações, utilizou-se várias medidas de centralidade, de intermediação, de distância e de subgrupos, que, em conjunto, confirmassem as suposi- ções. Desta forma, evidenciou-se fluxo de informação verticalizado e voltado para o interior das equipes; preferências pela comunicação face-a-face entre os funcionários; os que mais enviam e/ou recebem informações, quem são os funcionários formadores de opini- ão; nível interação entre as equipes do departamento e outros. Desta forma, concluímos que a Análise de Redes Sociais é um instrumento útil para tangibilizar e gerir o fluxo da informação, fornecendo subsídios que auxiliam o gestor a tomar decisões.

Palavras-chave


Social networks; Interpersonal communication

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2007v12n1espp171



  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional