O conhecimento científico e a multimodalidade informacional

Luiz Carlos Flôres Assumpção, André Porto Ancona Lopez

Resumo


Introdução: No contexto científico, a informação só poderá ser considerada objetivo científico se forem dentro de normas e regras preestabelecidas, ou seja, com as informações registradas - teorias e resultados de pesquisas - o que pode ser colocado à prova, sendo refutada ou não. Objetivo: Analisar a informação multimodal no contexto do conhecimento científico com a teoria dos três mundos de Popper. Metodologia: E o ponto de partida é uma pesquisa bibliográfica. No primeiro momento, a definição do que é informação e informação como coisa. No segundo momento, vamos nos ater ao contexto da informação multimodal, passando o terceiro momento nas teorias de três mundos de Popper e em particular o terceiro mundo ou mundo 3. Resultado: No terceiro momento as considerações em defesa da informação gravada para fazer parte da estrutura do contexto científico onde a informação é considerada como algo multimodal física e tangível para ser do mundo 1, e do mundo 3 de Popper. Conclusão:Nesta análise pudemos inferir que a informação multimodal faz parte do contexto científico e é estruturada como uma coisa fazendo parte do terceiro mundo de Popper

 


Palavras-chave


Informação; Informação como Coisa; Conhecimento; Ciência; Multimodalidade

Texto completo:

PDF

Referências


BUCKLAND, Michael K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science (JASIS), New York, v. 45, n. 5, p. 351360, 1991.

BURSZTYN, MARCEL; DRUMMOND, JOSÉ AUGUSTO; NASCIMENTO, ELIMAR P. Como escrever (e publicar) um trabalho científico: dicas para pesquisadores e jovens cientistas. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

CHALMERS, ALAN F. O que é ciência afinal? Brasília: Brasiliense, 1993.

DYNKOWSKA, Malgorzata; LOBIN, Henning. Multimodalidade e conhecimento em apresentações científicas. In: DUQUE, C. Gottschalg (Org.). Ciência da Informação estudos e práticas. Brasília: Centro Editorial, 2011.

DUQUE, C. Gottschalg. (Org.). Ciência da Informação estudos e práticas. Brasília: Centro Editorial, 2011.

KNELLER, George F. A ciência como atividade humana. Trad. Antônio José de Souza. Rio de Janeiro: Zahar, São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1980.

KUHN, Thomas S. A revolução coperniana. Lisboa: Edições 70, 2002.

______. A estrutura das revoluções científicas. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

MUELLER, Suzana P. M. Literatura científica, comunicação científica. In: TOUTAIN, Lidia Brandão B. (Org.). Para Entender a Ciência da Informação. Salvador: EDUFBA, 2007.

POPPER, Karl Raimund. Conhecimento objetivo. Belo Horizonte: Itatiaia, 1999.

______. Lógica das ciências sociais. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2004.

______. Conjecturas e refutações. Coimbra: Almedina, 2006a.

______. Em Busca de um Mundo Melhor. Trad. Milton Camargo Mota. São Paulo: Martins, 2006b.

______. A lógica da pesquisa científica. 14. ed. São Paulo: Cultrix, 2009.

RIBEIRO, Ana Elisa. Percepções de adultos e crianças (ainda) analfabetos sobre multimodalidade e discurso visual em jornais impressos. In DUQUE, C. Gottschalg. (Org.). Ciência da Informação estudos práticos. Brasília: Centro Editorial, 2011.

ROBREDO, Jaime. Filosofia da ciência da informação ou ciência da informação e filosofia? – Uma questão que merece ser pensada. 2007. In: CINFORM, 7., 2007, Salvador, UFBA. Disponível em:. Acesso em: 10 set. 2010.

SCHMIDT, Paulo; SANTOS, José Luiz dos. O pensamento epistemológico de Karl Popper. ConTexto, Porto Alegre, v. 7, n. 11, 1 sem. 2007.

SIECZKOWSKI, João Batista C. O pluralismo da tese do mundo 3 de Popper. In: OLIVEIRA, Paulo Eduardo de (Org.). Ensaios sobre o pensamento de Karl Popper. Curitiba: Círculo de Estudos Bandeirantes, 2012.

TOUTAIN, Lidia Brandão B. (Org.). Para entender a Ciência da Informação. Salvador: EDUFBA, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n1p04

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional