A indústria fonográfica nos tempos da internet: como a pirataria pode modelar novos modelos para a música

André Pequeno dos Santos

Resumo


Introdução: A constante queda nas vendas de álbuns e a consequente diminuição nos lucros fez soar o sinal de alerta da indústria fonográfica. O livre compartilhamento das músicas configura ao mesmo tempo o potencial democrático da internet e descortina as ações chamadas de pirataria digital, baseadas na apropriação ilegal dos direitos autorais.

Objetivo: Discutir como a pirataria pode influenciar o surgimento de novas alternativas para o cenário musical, relativizando os aspectos de uma cultura livre que na música é simbolizada pela ação dos usuários a partir das atividades que ficaram comumente conhecidas como pirataria.

Metodologia: Este trabalho se baseia na observação, na análise e na síntese de dados relacionados aos temas propostos, viabilizando uma discussão baseada no estudo exploratório e explicativo

Resultados: Apresenta um breve histórico da indústria fonográfica, identificando a partir de meados dos anos 90, o papel da internet e das ferramentas oriundas dela que permitiram novos arranjos nas questões musicais.

Conclusão: A pirataria mesmo sendo vista pelos seus aspectos negativos, pode ser um importante componente de discussão e estudo das atividades dos usuários em busca de uma cultura livre, aqui exemplificada pela questão da música e de interessantes iniciativas como Jamendo e Trama Virtual.


Palavras-chave


Indústria fonográfica; Internet; Pirataria; Compartilhamento; Música.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2013v18n2p130

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional